Vereador Marcelo Arar mostra otimismo quanto ao retorno do projeto Escola de Lutas

LANCE!
·2 minuto de leitura


Paralisado desde o ano passado, o projeto Escola de Lutas vai retornar junto com as outras disciplinas assim que uma nova flexibilização for decretada. Autor do projeto de lei que incluiu aulas de artes marciais nas escolas públicas do município do Rio de Janeiro, o vereador Marcelo Arar esteve recentemente no gabinete do prefeito Eduardo Paes ao lado das lendas Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, do secretário de Fazenda Pedro Paulo e do professor de Educação Física Fabrício Xavier para reforçar o pedido.

“Agradeço ao prefeito Eduardo Paes, ao Secretário de Fazenda do Rio Pedro Paulo e ao secretário de Educação Renan Ferreirinha, um grande incentivador das artes marciais, por apoiarem esse projeto super importante para o futuro de nossas crianças", destaca Marcelo Arar. “As crianças retornando às escolas, vamos voltar com as aulas de lutas, seguindo, claro, todos os protocolos de segurança. Vamos voltar a proporcionar ensinamentos como ética, disciplina, respeito, entre muitas outras virtudes do mundo das lutas.”

Embaixador do UFC no Brasil e entusiasta das artes marciais como ferramenta de transformação social, Rodrigo Minotauro elogiou a iniciativa implementada no Rio. Otimista, ele espera que outros lugares do país sigam o exemplo da Cidade Maravilhosa.

“Educação e esporte caminham lado a lado, por isso é importante projetos como esse. Espero que o Rio de Janeiro seja uma referência para outras cidades e estados do Brasil. É a chance de uma transformação positiva", acredita.

Irmão de Minotauro, Rogério Minotouro lembra que a maioria dos atletas norte-americanos do UFC têm como base modalidades aprendidas no colegial e na universidade, receita que, graças ao projeto Escola de Lutas, pode descobrir inúmeros talentos escondidos em comunidades cariocas.

"O Rio de Janeiro novamente abraça o esporte, só que dessa vez pela base, pela escola. É muito importante essas crianças estarem recebendo educação unida ao esporte, como nas escolas universidades norte-americanas. Quem sabe novos campeões não podem ser revelados", frisa o veterano.