Venda e empréstimo de jogadores serão discutidos nesta noite por conselheiros do Santos

Fábio Lázaro*
·3 minuto de leitura


O Conselho Deliberativo do Santos se reunirá virtualmente nesta terça-feira (17) para discutir uma série de pautas relacionadas ao clube, entre ela as propostas do Al-Nassr (SAU) e Benfica (POR) pelo zagueiro Lucas Veríssimo e as solicitações de empréstimo do CRB pelo meia Anderson Ceará e do Cruzeiro pelo atacante Copete.

A primeira convocação da videoconferência será feita às 19h. Como de costume, a Mesa Diretora do Conselho comandará a reunião da Vila Belmiro, mas dessa vez baixa do presidente da entidade, Marcelo Teixeira, que está acometido pela Covid-19, se encontra em isolamento, mas pretende participar virtualmente.

Respeitando o Estatuto Social do Peixe, qualquer movimentação relativa a entrada e saída de atletas em um prazo de três meses antes da eleição presidencial do clube, que acontece no dia 12 de dezembro, precisam da anuência dos conselheiros.

O CRB, que no início deste ano pediu o empréstimo do meia Rafael Longuine, que vinha em uma ótima sequência até romper o ligamento do joelho direito em março, agora tem como alvo Anderson Ceará, que embora tenha atuado na vitória santista por 2 a 0 sobre o internacional, neste sábado (14), pela 21ª rodada do Brasileirão, na Vila Belmiro, vinha de recorrentes atuações pelo Santos B e time sub-23. Já o Cruzeiro, que, assim como o time alagoano, está na Série B, deseja contar com o colombiano Copete, que espera para poder atuar pelo Santos desde que retornou do empréstimo ao Éverton (CHI), mas um novo registro do atleta pelo Alvinegro está travado pelo banimento do Peixe na Fifa por registrar novos atletas, por conta de uma dívida de mais de 10 milhões de dólares (R$ 54,1) com Huachipato (CHI) e Atlético Nacional (COL) devido ao não pagamento pela contratação de Soteldo e Felipe Aguilar, em 2019, o segundo já vendido ao Athletico-PR.

Já a situação de Lucas Veríssimo é mais delicada, pois se trata de uma possível confirmação de venda de um dos principais ativos do clube.

Por conta da recepção a vista de 3 milhões de dólares (R$ 16,2) e mais 3,5 de dólares (R$ 18,9) na chegada do atleta, em janeiro, a proposta do Al-Nassr agradou mais a diretoria santista, que busca recursos para sanar dívidas como as já citadas, como com o Atlético Nacional (COL) e Huachipato (COL), e até mesmo com o elenco, que está com parte dos salários e premiações atrasadas. No entanto, esse projeto não encheu os olhos do defensor, que ficou mais animado com o interesse do Benfica (POR), que, por estar na Europa, pode ser uma vitrine maior ao zagueiro, que tem como um dos sonhos atuar no futebol europeu. Os Encarnados solicitaram um empréstimo entre janeiro de 2021 e de 2022, para que seja respeitado o fair play financeiro deles, com obrigatoriedade de compra ao fim da cessão. Os portugueses pagariam 6,5 milhões de euros (R$ 35,2) de forma parcelada.

Além da deliberação de negociações no Santos, o Conselho Deliberativo terá pela frente a apreciação, discussão e votação de um Instituto de Propósito Social e da Proposta Orçamentária para 2021, com o parecer do Conselho Fiscal.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini