Após vencer balança, Jucilei e Jadson reveem ex-clubes para ir à final

Jucilei e Jadson têm mais em comum do que a profissão e a primeira letra dos seus nomes. Revelados no futebol paranaense, os dois meio-campistas viraram casaca em São Paulo e travaram um duelo com a balança antes de se cruzarem nas semifinais do Campeonato Paulista, neste e no próximo domingos.

“Cheguei completamente fora de forma”, reconheceu Jucilei, que afirmou ter emagrecido 4 kg desde a sua chegada ao São Paulo. O volante que se profissionalizou no JMalucelli, então Corinthians Paranaense, e ficou nacionalmente conhecido no Corinthians vinha de inatividade no Shandong Luneng, da China.

Jadson retornou ao Corinthians de outro clube chinês, o Tianjin Quanjian. E também estava 4 kg acima do seu peso ideal, de acordo com o médico Joaquim Grava, que irritou o meia revelado pelo Atlético-PR e com passagem pelo São Paulo ao descrevê-lo como “um pouquinho inchado”. “Ele não falou na maldade, mas deu uma declaração infeliz”, disse o atleta, à época.

Menos incomodado com o assunto, Jucilei já recuperou a forma. O técnico Rogério Ceni, que chegou a improvisar o volante como um zagueiro no empate por 1 a 1 contra o Ituano, para poupá-lo fisicamente, observou uma considerável evolução desde outra igualdade por 1 a 1, com o Corinthians, no Morumbi.

Jadson também tem recebido elogios por suas atuações sob o comando de Fábio Carille, que o preservou do jogo de ida contra o Internacional, pela Copa do Brasil, para tê-lo inteiro no Majestoso deste domingo. O armador já disputou 11 jogos pelo Corinthians desde a sua volta, com dois gols marcados, sobre Linense e Universidad de Chile.

Autor de seis gols quando estava no Corinthians (dois deles justamente em cima do São Paulo, em vitórias por 3 a 1, em 2009, e por 3 a 0, em 2010), Jucilei passou a ter menos oportunidades para balançar as redes. O jogador foi repatriado como um primeiro volante, e não mais como um segundo, e agora chama a atenção por suas virtudes defensivas.

Por sua vez, Jadson continua com o mesmo estilo de quando defendia o São Paulo. Criticado pelo técnico Muricy Ramalho pela demora para entrar em forma em inícios de temporada, o atleta se encontrou quando saiu do Morumbi com destino a Itaquera, em troca pelo atacante Alexandre Pato. Foi um dos grandes destaques do time corintiano campeão brasileiro de 2015, atuando na ponta direita.

Hoje, os dois meio-campistas deixaram no passado as ligações com os seus ex-clubes. “Joguei no Corinthians, mas estou muito mais experiente agora”, desconversou Jucilei, em sua apresentação como são-paulino, seis anos após dizer que o dinheiro gerado por sua transferência compensava o frio da Rússia, onde atuou pelo Anzhi Makhachkala.

Do outro lado, Jadson, que desperdiçou um pênalti contra o Corinthians em 12 de fevereiro de 12, colaborando com uma derrota por 1 a 0 do São Paulo no Pacaembu, sente-se à vontade até para provocar rivais. O meia ironizou recentemente o Palmeiras por não ter conquistado um Mundial de Clubes organizado pela Fifa, por exemplo, e talvez seja a principal referência de um time que não conta mais com Renato Augusto e a maioria dos campeões de 2015.

O peso de Jadson e Jucilei para Corinthians e São Paulo será colocado à prova no primeiro Majestoso eliminatório de 2017 – as duas equipes chegaram a se encontrar na final da amistosa Copa Flórida, quando os dois atletas ainda não haviam sido incorporados. O Majestoso de ida da semifinal estadual está marcado para as 19 horas (de Brasília) deste domingo, no Morumbi.