Veloz e cheio de fôlego, Japão consegue vitória histórica de virada sobre a Alemanha


A história foi feita mais uma vez no Qatar. Após a Arábia Saudita, o Japão é maus um asiático a conseguir uma vitória improvável contra um gigante na Copa do Mundo. Venceu a Alemanha de virada por 2 a 1, na estreia das equipes na competição, nesta quarta-feira (23), na primeira vez em sua história nos mundiais que conseguiu reverter um placar adverso.


+ TUDO O QUE ROLA NO QATAR: Acompanhe o dia a dia das seleções e as notícias mais importantes da principal competição esportiva

O que pode se dizer sobre a partida disputado no Estádio Internacional de Khalifa? Que a Alemanha até teve certa criatividade no primeiro tempo. Sem Sané, contundido, o jovem Musiala entrou nos 11 iniciais de Hansi Flick e deu o gás que os germânicos precisavam. Funcionou e a Alemanha até marcou, com Gündogan, de pênalti.

Na etapa final, contudo, a coisa virou. O físico ia pesando e cada vez mais os alemães mostravam o futebol burocrático alertado por sua imprensa no período pré-copa. para piorar, Musiala foi substituído. E aí foi a critividade que deixou os tetracampeões mundiais na mão.

O Japão, que não tem nada a ver com isso, aproveitou. Encheu o time de atacantes rápidos e dispostos em campo. Passou a apostar nas jogadas em profundidade. E conseguiu marcar duas vezes para a sua primeira virada na história das Copas. E a segunda vitória contra um europeu depois de bater a Dinamarca em 2010, na África do Sul.

Os fantasmas alemães da pífia campanha de 2018 voltam a assombrar a seleção. É a primeira vez na história que os germânicos perdem pela segunda Copa seguida o seu jogo de estreia. Em um grupo considerado o da morte, todo cuidado para não voltar a ser eliminado precocemente é pouco.

As equipes voltam a campo no domingo (27). Os alemães encaram o outro 'bicho-papão' do Grupo E, a Espanha, às 16h (de Brasília). Antes, às 7h (de Brasília), o Japão enfrenta a Costa Rica.

O JOGO

Para quem esperava uma pressão total alemã sobre os japoneses, o começo do jogo foi surpreendente. Teve a seleção asiática tendo espaço para jogar e articular. Rendeu resultado. Aos 7', após cruzamento rasteiro pela direita de Ito, Maeda completou às redes, mas o lance foi anulado por impedimento.

Mas foi só. A partir daí, a tradicional escola alemã entrou em prática. Um passe de bola exagerado para os padrões brasileiros, paciente, mas quase sempre efetivo. Aos 15', após cobrança de escanteio, Rüdiger desviou com perigo, rente à trave esquerda.

Aos 27', teve início o bombardeio mais efetivo germânico. Primeiro, Gündogan recebeu na meia-lua da área e bateu forte, a bola passou muito perto do travessão. Três minutos depois, Kimmich lançou para Raum dentro da área pela esquerda. Ele dominou na frente do goleiro e tentou o drible, mas acabou derrubado pelo goleiro Gonda. Pênalti marcado e confirmado pelo VAR que o mesmo Gündogan converteu para abrir o placar.

Após uma série de ataques sem muitos frutos, aos 37', 40' e 41', a Alemanha chegou com perigo de novo aos 44'. Musiala dominou na entrada da área, de costas, girou entre dois marcadores, cortou para a direita e bateu com perigo da meia-lua, para fora.

Ainda teve tempo no primeiro tempo, aos 48', para a Alemanha marcafr mais um, que não valeu. Gnabry arrancou em contra-ataque e encontrou Müller, que cruzou pela direita e, após o corte do goleiro Gonda, a bola sobra para Havertz, que completa às redes, mas em posição ilegal. Tento anulado.

> Confira a tabela e simule resultados da Copa do Mundo-22 do Qatar
> Conheça o novo aplicativo de resultados do LANCE!

xxxx

Se houvesse a esperança de um cenário diferente no segundo tempo, ele logo acabou no minuto inicial, quando Musiala fez grande jogada arrancando da defesa, passou por dois marcadores e deu livre para Gnabry finalizar de primeira, com perigo.

Musiala, aliás, ia sendo uma das principais peças germânicas. A repvelação do Bayern de Munique aprontou de novo aos 5', quando recebeu pela direita na entrada da para dribou cinco adversários (!!!), deixando dois deles no chão, carregou para o meio e bateu, com a bola passando rente ao gol de Gonda.

O Japão tentava respirar. Chegava como dava no ataque, quase sempre sem perigo. Mas as respostas alemãs não tardavam a surgir, com muita mais intensidade. Aos 14', Gündogan recebeu na entrada da área e bateu rasteiro, acertando a trave esquerda do goleiro nipônico.

O Japão seguia tentando ao menos se aproximar das metas germânicas, quase sempre sem nenhum tipo de perigo. E na sequência os europeus respondiam. Aos 24', foi necessária a frieza tradicional alemã... Mas para o goleiro japonês. Gonda fez quatro defesas seguidas em um lance impressionante. A Alemanha desceu em contra-ataque, Hoffman bateu dentro da área. Primeira defesa. No rebote, defendeu novamente. A bola saiu da área, voltou aos alemães, que cruzaram na área e finalizou novamente. Gonda espalmou. No rebote, mandou ara escanteio.

'De tanto levar, flechada no coração...' diz a letra de um conhecido samba. E, aos poucos, o Japão ia encontrando o melhor meio de pressionar a Alemanha. Aos 27', Endo passou para Ito dentro da área, que bateu forte. Neuer caiu e espalmou para o meio da área. Sakai pegou o rebote livre, mas mandou por cima do travessão.

Aos 29', a flechada foi certeira. Minamino arriscou chute de dentro da área. De novo Neuer espalmou para o meio da área. Mas desta vez Doan, que entrara em jogo no segundo tempo, estava ali para desviar o rebote ao fundo das redes e empatar.

Parecia o suficiente? Não para o Japão. A equipe percebeu a Alemanha cada vez mais cansada. Ainda mais burocrática com Musiala sacado do time por Hansi Flick. E foi ao ataque. Acabou premiada. Em mais uma jogada de profundida com os pesados alemães olhando, Asano dominou entre a marcação, carregou e bateu sem chance para Neuer, sacramentando a virada e, pela primeira vez, a segunda derrota seguida da Alemanha em aberturas de Copa de Mundo.

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA 1 x 2 JAPÃO
COPA DO MUNDO - 1ª RODADA - GRUPO E


Local: Khalifa International Stadium, em Ar-Rayyan (Qatar)
Data e horário: 23/11/2022 (quarta-feira), às 10h (de Brasília)
Árbitro: Ivan Arcides Barton Cisneros (El Salvador)
Auxiliares: David Jonathan Morán Santos (El Salvador) e Zachari Zeegelaar (Suriname)

Cartões amarelos:
Cartões vermelhos:

GOLS
Gündogan aos 32min do 1ºT (pênalti)(1-0), Doan aos 29min do 2ºT (1-1) e Asano aos 39min do 2ºT (1-2)

ALEMANHA
Neuer; Süle, Schlotterbeck, Rüdiger e Raum; Kimmich, Gündogan (Goretzka 21/2) e Gnabry (Moukoko 41/2); Musiala (Götze 33/2), Müller (Hofmann 21/2) e Havertz (Füllkrug, 33/2)
Técnico: Hansi Flick

JAPÃO
Gonda; Itakura, Sakai (Minamino 28/2), Yoshida e Nagatomo (Mitoma, 11/2); Tanaka (Doan 25/2), Endo e Kamada; Ito, Maeda (Asan 11/2) e Kubo (Tomiyasu, intervalo)
Técnico: Hajime Moriyasu