Velejadoras medalhistas olímpicas destacam força da vela femina

Fernanda Oliveira, Isabel Swan, Martine Grael e Kahena Kunze celebram a evolução do esporte entre as mulheres durante a IV Copa Brasil de Vela, em Porto Alegre

No Dia Internacional da Mulher, a vela brasileira encontrou razões para ressaltar a força feminina durante a IV Copa Brasil de Vela, em Porto Alegre. A competição tem a presença das quatro brasileiras medalhistas olímpicas da modalidade: as pioneiras Fernanda Oliveira e Isabel Swan, bronze em Pequim-2008 na classe 470; e as jovens Martine Grael e Kahena Kunze, que subiram no lugar mais alto do pódio da 49er FX nos Jogos Rio-2016. Elas destacaram a evolução da participação das mulheres no esporte.

- O esporte vem aumentando substancialmente o número de velejadoras. Antigamente eu era uma das poucas. É importante ter referências e hoje a gente tem resultados expressivos que motivam as jovens meninas que estão chegando - disse Fernanda Oliveira, velejadora com cinco participações olímpicas na classe 470, que disputa a IV Copa Brasil ao lado de Ana Barbachan.

Isabel Swan, que mudou de classe e agora compete ao lado de Samuel Albrecht pela Nacra 17, ressaltou a capacidade feminina de enfrentar e superar os desafios.

- Para enfrentar ventos fortes é preciso ter força. O Dia da Mulher é importante para lembrarmos sempre da força que temos dentro de nós.

Martine Grael e Kahena Kunze que, além do ouro olímpico, também já conquistaram o título mundial da 49er FX, em 2014. Neste evento, elas estão na disputa da 49er, classe masculina. Venceram uma regata no primeiro dia e estão na terceira colocação geral.

- Aqui em Porto Alegre, estamos correndo com homens. Tomando este exemplo, diria para as mulheres nunca deixarem de fazer nada do que querem. O gênero não importa - disse Martine.

- Nós, mulheres, somos guerreiras. Batalhamos e, independentemente do resultado, somos vitoriosas - acrescentou Kahena.












E MAIS: