Veja quais jogadores do Fluminense tem contrato acabando em 2021

Luiza Sá
·5 minuto de leitura


Mal terminou 2020 e o Fluminense já começa a se preocupar com a vida do time profissional para 2021. E neste ano o clube tem alguns jogadores importantes entrando nos últimos meses de contrato. No primeiro semestre, Hudson, Caio Paulista e Felippe Cardoso podem encerrar a passagem pelas Laranjeiras em fevereiro, enquanto Wellington Silva e Marcos Paulo têm vínculo só até junho. Em dezembro, Nenê, Yago Felipe, Igor Julião e Egídio são os nomes da vez. O LANCE! mostra quem são todos os atletas que estão atualmente no Flu e precisam de uma extensão se quiserem permanecer.

> Até fevereiro! Veja o calendário do Fluminense até o fim da temporada

APENAS ATÉ FEVEREIRO

O caso de Hudson é o tratado com mais atenção pela diretoria. O Fluminense deseja permanecer com o jogador para a próxima temporada, mas depende de uma série de arranjos com o São Paulo para isto. Atualmente, o Flu paga apenas uma parte dos altos vencimentos do volante. Caso não esteja no planejamento, os paulistas não desejam gastar mais dinheiro com o atleta, que tem contrato apenas até dezembro de 2021. Portanto, alguns cenários são: rescisão de Hudson e Fluminense pagando 100% dos salários, renovação com o São Paulo e novo empréstimo, com salário a ser discutido ou saída definitiva do jogador.

Emprestado pela Tombense, Caio Paulista ganhou grande importância na reserva do Fluminense nos últimos meses do ano, mas não tem tido o mesmo sucesso com Marcão. Com o treinador, o atacante tem 41 minutos em campo e, por isso, pode acabar perdendo forças em uma eventual renovação, que já era complicada. O Flu tem jogadores interessantes na base, está de olho em atletas no mercado e conta, no elenco, com nomes como Lucca, Wellington Silva e Luiz Henrique que atuam pelos lados.

Fora dos planos desde meados de julho, Felippe Cardoso acabou voltando ao radar do Fluminense para suprir a carência na posição, já que o camisa 9 não tem condições físicas de atuar em todas as partidas. Entretanto, o jogador irá retornar ao Santos ao final do Campeonato Brasileiro. Com isso, o setor é visto como uma prioridade do Flu no planejamento para a próxima temporada, mesmo que a comissão tenha em mente subir nomes como John Kennedy para o time principal.

VEJA E SIMULE A TABELA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

JUNHO

O único do elenco principal que precisará debater um novo vínculo no meio do ano é Wellington Silva, com contrato até 30 de junho. O jogador renovou com o Flu em agosto de 2020 por um ano, com opção de extensão por mais um ano. Depois de alguns problemas por lesão, o atacante vem ganhando mais espaço com Marcão.

Mesmo com contrato apenas até junho, Marcos Paulo não deve mais ter conversas com o Fluminense. O clube já sabe que o atleta não irá renovar e agora tenta vendê-lo até o fim da janela de transferências para não perder uma de suas principais joias de graça.

DEZEMBRO

O Fluminense terá algumas decisões importantes para tomar em dezembro, com quatro jogadores, a princípio, em fim de contrato. O primeiro é Nenê, que completa 40 anos em julho. O jogador pretende jogar por mais duas temporadas pelo menos e manifestou em 2020 o desejo de ficar no Flu. Além do meia, Yago Felipe, um dos principais nomes do time atualmente, também estará em final de vínculo.

Nas laterais, dois que atualmente são reservas. Na direita, Igor Julião, criado na base do Fluminense, entra em seu último ano de contrato. Na esquerda, Egídio também pode dar adeus ao Tricolor em dezembro. O primeiro tem situação ainda mais complicada, pois o Flu contratou Samuel Xavier para a posição e, portanto, é mais um concorrente além de Calegari. Para o outro lado, Danilo Barcelos vem começando as partidas, mas o clube observa o mercado por mais atletas.

SUB-23

Entre os atletas que estão no Sub-23, o Fluminense tem o meia-atacante angolano Lussivica, que está emprestado até o fim de 2021. Christian, atacante da equipe, tem vínculo até junho de 2021, assim como Wagninho e Nascimento. Quem fica pelo menos até dezembro é o zagueiro Higor, o volante John Everson e o goleiro João Lopes, contratado em janeiro de 2020.

Quem estará disponível só até o final de janeiro, quando se encerra o Brasileirão, é o atacante Matheus Pato, que não deve permanecer, mesmo caso de Cassini. Além deles, Caio Vitor, de 20 anos, que pertence ao Volta Redonda, está neste grupo. Ele sofreu uma grave lesão em julho, só retornou aos campos em novembro e tem apenas dois jogos no Aspirantes. O meia Denilson está na mesma situação e vem sendo reserva, além do volante Zé Ricardo. Em período de testes desde outubro, outro que pode se despedir é Luis Gustavo, com seis jogos pelo Sub-23.

SUB-20

Na base, quem tem contrato até o fim de janeiro é Cauã Santos, com 26 jogos pelo Fluminense e dois gols marcados, e Gabriel Magela, cedido pelo Vila Nova até o final do mês com opção de compra, o lateral Maicon e o zagueiro Marcão. O lateral-esquerdo Eduardo tem vínculo até 28 de fevereiro.

Em junho, o Flu tem os fins dos vínculos do meia Ykaro e do lateral Wisney, que renovou em setembro do ano passado e vem tentando reconquistar espaço após lesões. Já em dezembro, os contratos que terminam são do meia Diogo, do zagueiro Geovani, que renovou em setembro de 2020, do goleiro Paulo Filho e do atacante Carrapeta.

CASO RODOLFO

O goleiro Rodolfo foi comprado pelo Fluminense com contrato válido até dezembro de 2021. O vínculo do clube com o jogador, porém, está suspenso desde que ele foi pego no exame antidoping em junho de 2019, em prova feita no jogo contra o Atlético Nacional, da Colômbia, no dia 23 de maio, no Maracanã, quando o arqueiro estava no banco. Na época, Rodolfo recusou contraprova.

Em um recurso impetrado na Câmara de Apelação da Conmebol, o jogador conseguiu a redução da pena de três para dois anos e também a anulação de uma multa de US$ 20 mil. Com isso, a pena terminará em 23 de maio de 2021, ou seja, ainda dentro do vínculo com o Fluminense.