Veja onde foram parar 14 jogadores famosos do futebol brasileiro

Yahoo Esportes
Souza veste a camisa do Murici, que disputa o Campeonato Alagoano (Jailson Colácio/Ascom Murici)
Souza veste a camisa do Murici, que disputa o Campeonato Alagoano (Jailson Colácio/Ascom Murici)

Eles já jogaram em clubes grandes, foram extremamente famosos, ganharam alguns dos mais desejados títulos do país... e hoje vivem uma realidade completamente diferente. O Blog levantou a situação de 14 atletas e conta pra vocês onde foram parar Lúcio, Souza, Marcelinho Paraíba, Léo Moura, Douglas, Maikon Leite, Marcelo Mattos, Zé Love, Amaral, Fernando Henrique, Acosta, Nixon, Adriano Pagode e Wellington Saci.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Lúcio (40 anos): Tupynambas-MG
Perto de virar técnico, o ex-lateral-esquerdo do Palmeiras é titular absoluto do Tupynambas no Campeonato Mineiro. Já tem sete partidas, todas como meia atacante. Campeão brasileiro em 2006 e vice da Libertadores em 2007 pelo São Paulo, Lúcio ficou famoso por declarar em 2004 que era o 4º melhor lateral-esquerdo do mundo, só atrás de Roberto Carlos, Serginho e Léo.

Leia também:

Souza (41): Murici-AL
O meia Souza é daqueles andarilhos da bola e está em seu 16º clube diferente na carreira: o Murici, de Alagoas. Antes, passou por São Paulo, Fluminense, Grêmio, Cruzeiro e até PSG, em 2008, onde fez 13 jogos. Souza assinou até o fim do Campeonato Alagoano e soma três partidas. Ele não atuava desde fevereiro de 2019, pelo Bagé.

Marcelinho Paraíba (44): Perilima-PB
O mais veterano da lista, Marcelinho Paraíba se aposentou no último dia 15 de março, depois de oito jogos pelo Perilima, no Campeonato Paraibano. E ele disputou oito partidas e um gol em 2020, antes de pendurar a chuteira. A despedida ocorreu no estádio Amigão, onde seu pai também atuou. Na carreira, Marcelinho Paraíba passou por Santos, São Paulo, Grêmio, Flamengo, Hertha, Wolfsburg... ainda fez seis jogos e um gol pela seleção brasileira.

Léo Moura (41): Botafogo-PB
O lateral-direito Léo Moura já tinha se aposentado tempos atrás, depois de passar por uma segunda liga americana e até pela Índia. Mas Léo ganhou sobrevida com Renato Gaúcho no Grêmio e está defendendo em 2020 o Botafogo-PB, onde já soma sete partidas, todas como titular. Ainda defendeu Botafogo, Vasco, Fluminense e Flamengo. Seu contrato só termina no fim do ano, após a Série C do Brasileiro. Detalhe curioso: além do salário, ele ainda tem 5% da renda dos jogos do Botafogo como mandante.

Douglas (38): Brasiliense
O meia que fez sucesso por Corinthians e Grêmio estava desempregado até outro dia, depois de se oferecer pra vários clubes do interior gaúcho... Mas ele fechou recentemente com o Brasiliense, embora não tenha conseguido estrear por causa do Coronavírus. Seu contrato é até dezembro, onde jogará a Série D, a Copa Verde e o restante do estadual. 

Maikon Leite (31): Amazonas FC
O ex-atacante de Palmeiras e Santos já tem seis jogos, três gols e cinco assistências no Campeonato Amazonense pelo Amazonas FC. Com o detalhe de que seu clube acaba de estrear na elite do campeonato estadual. Maikon surgiu bem no Santos em 2008, foi parar no Palmeiras em 2011 e ainda defendeu times de México, Emirados Árabes, além de Bahia, Ceará, Brasiliense...  

Acosta (43): Taguatinga-DF
Uruguaio que despontou no Náutico em 2007, com incríveis 19 gols marcados, Acosta está no Taguatinga. Antes, passou por Corinthians, Brasiliense, Central e uma porção de times, que totalizam 18 clubes diferentes na carreira. No Campeonato Brasiliense deste ano, ele soma seis jogos, dois gols e uma expulsão no último jogo.

Marcelo Mattos (36): Dom Bosco-MT
Depois de só fazer três jogos entre 2017 e 2019, o volante já soma quatro partidas no Campeonato Mato-Grossense pelo Dom Bosco. Ele foi até expulso contra o Mixto. Na carreira, passou por Botafogo, Vasco, São Caetano, Corinthians, além do futebol do Japão e da Grécia. Marcelo Mattos não jogava desde 5 de julho.

Zé Love (32): Brasiliense
Parceiro de Neymar e Ganso no Santos campeão da Libertadores de 2011, Zé Love está no Brasiliense. Curiosidade: ele jogou em 2012 no Genoa e quase foi parar no Milan. Isso só não aconteceu porque pediram que ele esperasse dez dias, já que as prioridades eram Tevez e Balotelli. Temendo perder a condição de titular, ele voltou para seu clube, porém o presidente do Genoa não gostou de saber da negociação e Zé Love ficou sem jogar em quaisquer dos dois italianos. Ainda esteve na Malásia em 2019 e hoje é superelogiado pelos comentários, via Twitter, sobre o Big Brother Brasil.

Fernando Henrique (36): Santo André
Titular absoluto e um dos destaques do líder Santo André no Campeonato Paulista, Fernando Henrique tem 12 jogos pelo clube e 12 gols sofridos. A boa fase deve lhe render propostas em breve, já que seu contrato está perto do fim. Antes, defendeu CRB, Ceará, Villa, Remo, Inter de Lages, além do Fluminense, onde jogou por 12 anos.

Nixon (27): Portuguesa-RJ
O atacante chegou para o sub-17 do Flamengo, se profissionalizou em 2012 e chegou a fazer 59 jogos entre 2013 e 2014. Foi campeão da Copa do Brasil de 2013 e do Carioca de 2014. Depois, passou por América-MG, Red Bull Brasil, ABC, Suécia e assinou com a Portuguesa, onde só atuou duas vezes.  

Adriano Pagode (32): Imperatriz-MA
Uma das armas do Santos de Muricy no título da Libertadores de 2011, o volante Adriano Pagode também passou por Grêmio, São Caetano, Vitória, Avaí. Só jogou três vezes entre 2018 e 2019 e já conta com 11 partidas no Imperatriz, como titular absoluto. O Imperatriz, inclusive, defende o título de campeão maranhense.

Wellington Saci (35): Joinville
Ficou conhecido depois de passar pelo Corinthians entre 2008 e 2009, onde disputou 21 jogos, depois de aparecer bem no Remo. Ainda foi emprestado a Atlético-MG, Goiás e Sport, onde disputou 56 jogos e nove gols. Desde então, rodou bastante e jogou futebol amador no ano passado. Pelo Joinville, tem só dois jogos em 2020.

Amaral (31): Moto Club
Volante do Flamengo de 2012 a 2014. Amaral entrou no coração do rubro-negro com o gol do empate em 1 a 1 contra o Atlético-PR, na partida de ida da final da Copa do Brasil de 2013. Ele passou por Vitória, Boa Esporte, CSA e é o principal reforço do Moto Club para 2020.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também