Veja momentos em que Richarlison se posicionou politicamente

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Com os dois gols que marcou na estreia do Brasil contra a Sérvia, nesta quinta (24), Richarlison, 25, caiu nas graças da torcida brasileira. O "Pombo" tornou-se queridinho nas redes sociais não só pelo desempenho excepcional em campo, mas por seu costume de posicionar-se quanto a questões políticas.

Veja momentos em que o camisa 9 da seleção brasileira expressou seus posicionamentos:

Vacinação e pandemia da covid-19

Além de ter publicado uma carta aberta na Players Tribune incentivando a vacinação, Richarlison é embaixador do programa USP Vida, criado para agilizar o avanço de pesquisas e ações pela prevenção, cura e tratamento da doença que assola o mundo.

Trecho da carta aberta na Players Tribune:

A molecada que me segue e gosta de mim por causa dos meus gols ou da dancinha do Pombo (pruuuu!) pode pensar que falar sobre saúde é um negócio chato, mas, na humildade, peço alguns minutos da sua atenção para o que eu escrevo.

De coração, eu faço um apelo a todos vocês.

POR FAVOR, NÃO DEIXE DE TOMAR SUA VACINA!

A parceria foi firmada logo no início da pandemia, em abril de 2020, e Richarlison se movimentou para trazer o apoio de outros jogadores e celebridades ao projeto.

Em julho de 2021, leiloou um de seus pares de chuteiras para arrecadar R$ 7.000, que foram doados ao projeto. Os calçados ainda continham a inscrição "@CiênciaUSP" gravada na lateral.

O jogador também doou dez cilindros de oxigênio para Manaus durante a crise no sistema de saúde da cidade, em janeiro de 2021, durante um dos piores momentos da pandemia de covid-19 no país. Richarlison também manifestou-se sobre a situação no Twitter.

Racismo

Dois meses antes do início da Copa, em setembro de 2022, Richarlison foi alvo de um ato racista durante um amistoso da seleção brasileira contra a Tunísia, em Paris. Depois que fez o segundo gol do Brasil, diversos objetos foram lançados das arquibancadas, incluindo uma banana, que caiu no gramado.

O atacante se declarou publicamente sobre o caso: "Enquanto ficarem de 'blá blá blá' e não punirem, vai continuar assim, acontecendo todos os dias e por todos os cantos".

A partida foi disputada diante de uma maioria de torcedores tunisianos no Parque dos Príncipes, estádio do Paris Saint-Germain.

O posicionamento incisivo de Richarlison contra o racismo não se restringe ao caso em que foi vítima: no final de maio de 2020, após a morte de George Floyd e de João Pedro, Ricky publicou um foto em apoio ao movimento Black Lives Matter.

Em entrevista para o ECOA, o atacante disse que a causa racial está entre as que considera mais importantes, e que casos de racismo são o que mais têm chocado.

Polêmicas humanitárias no Qatar

No dia 21, alguns dias antes da estreia do Brasil na Copa, Richarlison falou em entrevista coletiva sobre as manifestações planejadas pelas seleções europeias durante o torneio:

"Independentemente de qualquer coisa, a gente tem que respeitar a opinião de cada um, de cada seleção. Ainda não sei o que vão fazer aqui, se vão usar uma faixa a favor da causa LGBT ou contra o racismo. Eu apoio em qualquer situação. O mais importante é isso. Hoje a gente vive num mundo muito perigoso, onde a gente não pode ter opiniões."

Outras ações

À ESPN, Richarlison revelou em outubro de 2022 que dedica 10% de seu salário no Tottenham para ajudar o Instituto Padre Roberto Lettieri, uma casa de apoio que acolhe pacientes com câncer atendidos no Hospital do Amor de Barretos.

"Muita gente não sabe. No Brasil eu tenho uma casa em Barretos onde tem um hospital de câncer. Tem uma casa lá para ajudar as pessoas que não tem grana para poder ficar lá. Então ali eles tem comida de graça, tem tudo de graça. 10% do meu salário vai para lá para ajudar essas pessoas", disse o atacante.

No começo da pandemia, doou 500 cestas básicas para comunidades carentes de Nova Venécia, sua cidade natal, no Espírito Santo.