Apesar da promessa, Vasco termina o ano com dívidas; Campello explica

Alexandre Campello preside um Vasco recheado de dívidas (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)
Alexandre Campello preside um Vasco recheado de dívidas (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)


O Vasco vai terminar o ano com salários atrasados. Para os jogadores, o clube deve o mês de novembro de CLT, 13º, além de direitos de imagem, remuneração recebida apenas por alguns atletas. Já com os funcionários, a dívida se estende também para outubro.

A promessa, feita ainda com Vanderlei Luxemburgo como técnico, era de que todos entrariam de férias com pelo menos um salário quitado, mas isso não se cumpriu. O prazo foi estendido até o Natal e agora o prometido é pagar até meados de janeiro.

Pressionado pela ausência de pagamentos, o presidente Alexandre Campello usou a sua conta no Twitter para explicar os motivos que o fizeram quebrar a promessa. O mandatário vascaíno afirmou que precisou quitar dívidas, evitando assim penhoras futuras.

- O acordo que fizemos em relação às penhoras e o pagamento de mais de R$ 32 milhões em dívidas consumiram a maior parte dos recebíveis, o que nos obrigou a tentar obter os recursos através de uma operação com o BMG. Mas, em função da necessidade da operação passar pelo Comitê do Banco, a captação será concretizada só em meados de janeiro. Com isso, partimos para outra solução com maior chance de ser concretizada nos próximos dias.

Até o momento não há uma data específica para o pagamento dos atrasados. Vale destacar que o mês de dezembro vence somente no dia 20 de janeiro, devido a um acordo do clube com os seus funcionários e jogadores.

Por conta dessa indefinição, o Vasco está tendo dificuldades em renovar os contratos de alguns jogadores, como Guarín e Henríquez, que só aceitam negociar após o pagamento das dívidas.

Confira os posts do presidente Alexandre Campello:











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio


Leia também