Vasco destaca patrocinadores e pede fidelização do sócio para evitar perda de receitas

Luiza Sá
LANCE!


A pandemia do novo coronavírus vem provocando diversas mudanças no futebol. Aliado a isso e a uma preocupação já existente, o Vasco lançou, na última sexta-feira, novidades sobre o sócio-torcedor. Clube com maior número de associados no Brasil, o Cruz-Maltino terá nos próximos dois meses uma dimensão real de como ficará a receita do programa, já que se encerrará o período de seis meses da promoção feita em novembro e dezembro do ano passado que dava desconto nas mensalidades. Com isso, as medidas para não perder mais receitas seguem fortes.

O clube não faz uma projeção alta de perda do número de sócios, já que, desde o fim da promoção, mais de 9.200 sócios foram perdidos. Para que esse impacto seja o menor possível, o Vasco está oferecendo dois meses gratuitos para quem renovar o plano por mais seis meses. E três meses para quem ficar por um ano. O torcedor que puder e quiser pagar todas as mensalidades de forma integral terá essa opção também.

Essa não é uma exclusividade dos cariocas. Alguns clubes da Série A também entendem que o prejuízo será menor ao oferecer o desconto, já que a outra opção poderia ser perder de vez esses sócios.

Para se amparar financeiramente em um momento ainda mais complicado para os cofres do clube, o Vasco se vira como pode. Além do sócio viver um momento decisivo, o CT segue ainda mais firme na campanha de financiamento pela torcida e, talvez o mais importante, o clube faz questão de valorizar os patrocinadores que continuam investindo, apesar da crise. Em todas as transmissões feitas pela VascoTV os parceiros ficam em posição de destaque e mais recentemente o Cruz-Maltino divulgou um vídeo promocional para enaltecer o vínculo.






Arrecadações

O vice-presidente de comunicação e relações públicas do clube, Claudio Fernandez, afirmou, em entrevista à "VascoTV", que o Cruz-Maltino teve receita de R$ 20 milhões para os seis meses do valor promocional, em que as mensalidades dos planos foram reduzidas a metade. Com a volta do valor antigo, mesmo com os novos descontos, e uma possível baixa no número de torcedores, o clube projeta dobrar essa arrecadação.

Isso é refletido no orçamento do Vasco para esta temporada, que planejava arrecadar R$ 43.975.121,08 dos associados, além de R$ 4.578.993,38 com os sócios estatutários. Um fator que aumenta a importância do dinheiro ganho com os sócios-torcedores é justamente o período sem jogos e a possibilidade de que a bola volte a rolar sem público. O time da Colina projetava R$ 20.382.361,00 com bilheteria e venda de partidas. Entretanto, essa receita de vendas não poderá mais ser obtida, já que a prática está proibida no Campeonato Brasileiro. Além disso, os números das bilheterias nos 15 jogos da temporada ainda são desanimadores, com um prejuízo de R$ 123.505,12.




Veja os números do sócio do Vasco:

Outubro/2019 - 32.192
Novembro/2019 - 122.006
Dezembro/2019 - 185.404
Janeiro/2020 - 183.464
Fevereiro/2020 - 181.576
24/03/2020 - 179.250
27/03/2020 - 179.044
25/04/2020 - 176.202









Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também