Vasco causa melhor impressão, mas não tem competência para fazer o gol e perde para ao Volta Redonda no fim

·2 minuto de leitura

Depois da derrota na estreia da Taça Guanabara, o Vasco perdeu a segunda partida, diante do Volta Redonda. Mas o 1 a 0 sofrido no fim não indica pouca produtividade e má atuação. Pelo contrário. Só não houve competência para entrar na área e colocar a bola na rede. E quem não faz, leva, como provou a desatenção no lateral que gerou o gol de João Carlos. Sem nenhum ponto em dois jogos, o Vasco é o vice-lanterna entre 12 equipes.

Até houve evolução do primeiro para o segundo compromisso vascaíno. O técnico Diogo Siston promoveu Matias Galarza aos titulares depois da boa participação do paraguaio contra a Portuguesa. E o jogador deu boa dinâmica ao meio-campo do Vasco, ao lado de Juninho. As peças mais criativas se movimentaram melhor no ataque, com participação dos laterais, mas o time pecou no último passe.

Ainda assim, o Vasco teve as melhores chances, nos pés de Laranjeira. O atacante demonstrou qualidade e precisão nos arremates. Primeiro, parou no goleiro Andrey. Em seguida, acertou a trave. "Faltou capricho. Tivemos algumas oportunidades. Tem que ter atenção", disse o jogador no intervalo.

Depois do ímpeto inicial vascaíno, o Volta Redonda encaixou a marcação e também causou perigo. Embora com a defesa bem postada para evitar contra-ataques, o Vasco sofreu, e Lucão também fez boa defesa. No segundo tempo, MT, que já apoiava pelo lado, engrossou o meio do Vasco, que se atirou ao ataque e deu espaços.

As jogadas não tiveram a mesma fluidez. Os jogadores de frente, Laranjeira e Figueiredo, participaram menos. E acabaram recuando para armar as jogadas. O centroavante Tiago Reis entrou no fm para aumentar a presença na área. Mas foi Arthur, que entrou bem e concluiu duas vezes. Em bola espirrada na área no fim, João Carlos dominou no peito e definiu o placar.