Varane responde sobre preferência da França entre os possíveis rivais nas oitavas da Copa do Mundo

O zagueiro Raphael Varane, durante jogo da Copa do Mundo do Qatar (Foto: Franck Fife/AFP)


Primeira seleção classificada às oitavas de final da Copa do Mundo do Qatar, a França já pensa na próxima fase. O técnico Didier Deschamps fará mudanças na equipe contra a Tunísia, na próxima quarta, na rodada final do Grupo D, e, neste domingo, Raphael Varane já foi perguntado se há uma preferência pelo adversário no primeiro mata-mata da Copa.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

- Vamos esperar a definição do adversário. Para irmos à final, teremos que enfrentar grandes seleções. Não temos preferência. Não há jogo fácil - resumiu o zagueiro francês.

A França ainda não tem o primeiro lugar da chave garantido, mas um empate contra a Tunísia basta aos Bleus - que ainda contam com um enorme saldo de gols em comparação aos rivais do grupo. Por outro lado, o Grupo C está totalmente aberto. Polõnia, Argentina, Arábia Saudita e México disputarão a rodada final com chances de classificação. Confira a situação dos grupos e simule os resultados clicando aqui!

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Confira outras respostas do zagueiro Raphael Varane, da França, neste domingo.

A seleção fica exposta com quatro atacantes?

"Não sinto que seja mais frágil. Fomos sólidos contra a Dinamarca. Depende de nós manter o sistema funcionando."

Pontos fortes da seleção francesa

"O time vem acumulando experiências desde 2016, 2018, com jovens chegando forte. É uma ótima mescla, com muito talento. Temos que continuar a trabalhar com os mesmos valores, a mesma humildade. Esse também é o papel dos mais experientes. Temos um ótimo grupo."

Sua condição física preocupa?


"Nenhuma preocupação em particular. O técnico me colocou porque sabia que eu estava pronto."

Diferença na equipe com Pavard e com Koundé na lateral direita


"Nós somos um pouco imprevisíveis. Podemos jogar com um bloco mais baixo ou pressionando alto. Nós temos jogadores com diferentes qualidades e complementares. O objetivo é vencer, ser o mais eficiente possível. É o que tentamos fazer."