Vanderlei se enche de confiança para decisões contra a Ponte Preta

O goleiro Vanderlei foi o escolhido pelo Santos para conceder entrevista coletiva no CT Rei Pelé nesta quinta-feira, dia marcado pela definição dos dias, locais e horários dos confrontos das quartas de final do Campeonato Paulista. O Peixe vai visitar a Ponte Preta nesse sábado, às 16 horas (horário de Brasília), no estádio Moisés Lucarelli, e receberá a Macaca no fim de semana seguinte, no Pacaembu, e não na Vila Belmiro, por opção da própria diretoria santista, que espera faturar mais com a bilheteria. Para o camisa 1, apesar da polêmica dentro do clube e entre os torcedores, jogar na Capital não gera qualquer empecilho.

“A gente sempre fez bons trabalhos na Vila ou no Pacaembu. Acho que desde que eu cheguei não perdemos no Pacaembu. A torcida comparece lá, dá 20 mil (torcedores) em todos os jogos. Vai estar lotado”, previu o goleiro. Mas, antes disso, Vanderlei está focado no duelo em Campinas. “Estádio cheio. É o que todos esperam. Não queremos um jogo qualquer. Queremos jogos grandes, que ficam marcados na carreira”, comentou.

Talvez o otimismo de Vanderlei seja justificado pela última visita do Peixe ao Majestoso. Em novembro do ano passado, a equipe de Dorival Júnior venceu a Ponte Preta no Moisés Lucarelli por 2 a 1 na reta final do Campeonato Brasileiro em partida que ficou marcada pela alteração de horário em cima da hora.

“Jogar lá é difícil, pressão, equipe boa. (O jogo) teve circunstâncias difíceis, mas a equipe se superou e precisa vencer para tentar o título. É o que vai voltar a acontecer. É um momento decisivo e tenho certeza que faremos uma grande partida”, projetou Vanderlei.

Toda essa confiança do goleiro santista não significa que o Santos não esteja ciente da dificuldade que deverá ter pela frente. Vanderlei admitiu que o Peixe está devendo, mas também pontuou a evolução nas últimas rodadas.

“Sabemos o que erramos e é algo interno, sem externar. Campanha oscilou, não começamos muito bem e tivemos derrotas não esperadas. Tivemos lesões, vários (jogadores) fora, mas estamos crescendo na hora certa, três vitórias, confiança alta. Os reservas deram conta do recado e temos tudo para fazer uma grande eliminatória contra a Ponte Preta”, avaliou, antes de concordar com a opinião de que o Santos terá o adversário mais complicado entre os grandes paulistas.

“Teoricamente, sim, por ser equipe de Série A e pela pontuação. Fez a mesma pontuação (que o Santos). Jogadores cobiçados por outros clubes, jogadores experientes, Pottker, que é o artilheiro, bom treinador. Vai ser equilibrado como sempre foi”, concluiu.