Vampeta diz que Endrick 'merecia muito mais' ir para a Copa do que Ronaldo em 1994

Vampeta comparou início de carreira de Endrick com o de Ronaldo Fenômeno (Reprodução/JovemPan)


O programa "Bate Pronto", da "Jovem Pan", discutiu a afirmação de Ronaldo Fenômeno de que Endrick, promessa do Palmeiras, deveria ter sido convocado para a Copa do Mundo. O ex-jogador Vampeta disse que ele merecia mais uma presença na lista do que o próprio Ronaldo quando foi chamado em 1994, mas afirmou que teria tomado a mesma decisão de Tite em relação ao jovem atleta.

+ Daniel Alves e Thiago Silva no topo! Veja quais são os brasileiros mais velhos em Copas do Mundo

Ronaldo recebeu sua primeira chance entre os profissionais da Seleção Brasileira às vésperas da Copa do Mundo de 1994. O técnico Carlos Alberto Parreira chamou o jogador de 17 anos para viver sua primeira experiência no torneio. Para Vampeta, Endrick, que hoje tem 16 anos, teria mais motivos para ser chamado do que o Fenômeno tinha na época.

- Se você pegar o que o Endrick está fazendo agora e o que o Ronaldo fez (em 1994), o Endrick merece muito mais ir à Copa do Mundo. Se você pegar os números do Endrick na seleção de base, pelo Palmeiras, eles são melhores do que os que o Ronaldo tinha aos 17 anos - afirmou.

+ Neto elogia Endrick e crava: 'Vai ser muito melhor que Ronaldo Fenômeno'

Ainda assim, o comentarista disse que não convocaria a promessa alviverde. Ele também contou que não acha que a experiência faria muita diferença no futuro de Endrick na Seleção Brasileira.

DECLARAÇÃO DE RONALDO

Ronaldo disse que a convocação de Endrick seria uma "preparação para o futuro". Para justificar, ele utilizou o exemplo das oportunidades dadas a ele e a Kaká no início da carreira.

- Seria uma experiência sensacional para ele (Endrick) e para o futuro da Seleção Brasileira. Sinto falta disso na Seleção. Em 2010, o Dunga não levou o Neymar. Em 94, o Parreira me levou e em 2002 o Felipão levou o Kaká. Caberia no planejamento de futuro o Endrick fazer parte dessa convocação - disse.