Vacina para Covid-19 da BioNTech e Pfizer induziu resposta imune 'robusta', diz estudo

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Vale destacar, no entanto, que estes resultados ainda não mostram a eficácia da vacina. Segundo pesquisadores, isso será determinado apenas na última fase dos testes, a fase 3 (Foto: Agência Brasil)
Vale destacar, no entanto, que estes resultados ainda não mostram a eficácia da vacina. Segundo pesquisadores, isso será determinado apenas na última fase dos testes, a fase 3 (Foto: Agência Brasil)

Uma das vacinas candidatas contra a o novo coronavírus, a chamada BNT162b1, das farmacêuticas BioNTech e Pfizer, induziu uma resposta imune "robusta", não apresentando efeitos colaterais graves em voluntários adultos, mostram resultados preliminares publicados nesta quarta-feira (12), na revista científica Nature.

Segundo o estudo publicado em uma das revistas mais importantes do mundo, os níveis de anticorpos neutralizantes dos participantes foram de 1,9 a 4,6 vezes maiores do que os de pacientes em recuperação da Covid-19.

Ainda de acordo com a pesquisa, a resposta imune dos participantes aumentou conforme a dose aplicada e também foi maior com uma segunda dose da vacina.

Leia também

Vale destacar, no entanto, que estes resultados ainda não mostram a eficácia da vacina. Segundo pesquisadores, isso será determinado apenas na última fase dos testes, a fase 3.

Isso porque os resultados divulgados hoje são referentes às fases 1 e 2 da pesquisa, que estudam a segurança e começam a determinar a eficácia da vacina, que será comprovada de fato na próxima fase, e ainda está em andamento.

No Brasil, a imunização das farmacêuticas está sendo testada em São Paulo e na Bahia.