#Verificamos: É falso que Coronavac não foi testada em voluntários chineses

Agência Lupa
·2 minuto de leitura
É falso que Coronavac não foi testada em voluntários chineses - Foto: Rodrigo Nunes / MS
É falso que Coronavac não foi testada em voluntários chineses - Foto: Rodrigo Nunes / MS

por SAMUEL COSTA

Circula nas redes sociais que a farmacêutica chinesa Sinovac irá usar 9 mil brasileiros como “cobaias” para testar uma vacina contra a Covid-19 para não testar nos próprios chineses. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

É falso que Coronavac não foi testada em voluntários chineses -  Foto: Reprodução
É falso que Coronavac não foi testada em voluntários chineses - Foto: Reprodução

“A China tem um bilhão de habitantes e vem testar vacina aqui?”

Texto de imagem que, até às 22h do dia 27 de outubro de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 600 pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. De acordo com nota encaminhada pelo Instituto Butantan nesta terça-feira (27), a pesquisa com a CoronaVac iniciou os testes com humanos na China. Só após ter resultados iniciais positivos é que ela foi trazida para o Brasil. O Instituto também reafirmou a segurança dos estudos e disse que ela só poderá ser aplicada à população após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A primeira e a segunda fase de testes com humanos da Coronavac foi realizada na China. Os resultados ainda não foram publicados em revista científica, mas estão disponíveis na plataforma de estudos pré-publicação MedRvix. A vacina também foi aplicada, em caráter excepcional, em 50 mil pessoas na China, incluindo funcionários da própria companhia.

Essa e outras vacinas estão sendo testadas no Brasil porque, em junho, o país era um dos poucos lugares onde a curva de contágio ainda estava ascendente. Na China, por outro lado, o número diário de novos casos não passa de 100 desde julho.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés