Vítor Pereira pede calma à torcida do Flamengo e explica Marinho na lateral esquerda

Vítor Pereira fez seu segundo jogo pelo Rubro-Negro nesta quarta (Marcelo Cortes/Flamengo)


O Flamengo empatou com o Madureira em 0 a 0, pela segunda rodada do Campeonato Carioca. O Rubro-Negro tentou o gol desde os primeiros minutos, mas saiu vaiado do Estádio Kléber Andrade, em Cariacica-ES. Na coletiva, o técnico Vítor Pereira pediu calma à torcida, além de ter explicado a opção por Marinho na lateral-esquerda, muito criticada nas redes sociais.

+ Veja as principais movimentações do Flamengo no mercado da bola

O português explicou que a equipe começou os trabalhos há pouco tempo e, por isso, ainda não possui o ritmo de jogo para estar em alto nível de três em três dias. Vítor citou que Ayrton Lucas estava desgastado e, por essa razão, optou por Marinho.

- Vamos ter que arriscar mais uma vez. É a única forma de darmos ritmo de jogo. Ainda mais cansados, mas vamos ter jogar para adquirirmos ritmo, para adquirirmos tempo de jogo. Depois vou ter que desacelerar para chegar fresco contra o Palmeiras. Próximo jogo será com time principal - disse, antes de completar:

- O Marinho na esquerda foi pelo fato do Filipe Luís estar fora, pela fato do Ayrton ainda estar em dificuldades e para evitar lesões. Optamos por Marinho bem aberto. É rápido para buscar os cruzamentos. Tentou fazer bem. No momento, estamos condicionados pois o Filipe Luís não está - analisou.

+ Flamengo negocia venda de outra joia da base, Barcelona quer se desfazer de brasileiro… o Dia do Mercado!

O comandante do Rubro-Negro também pediu calma à torcida do Flamengo que estava presente no Estádio Kléber Andrade. O português confirmou que gostaria de ter dado a vitória ao torcedor, mas que a impaciência não condiz com o momento do clube.

- Nós gostaríamos muito de ter dado uma vitória, mas a torcida também tem que se lembrar que começamos a preparação em muito pouco tempo. Vamos ter que jogar no sábado outra vez, mas eles não são máquinas. Foi um ritmo forte nos primeiros jogos. Faz parte do processo - finalizou.

O próximo compromisso do Flamengo em 2023 é neste sábado, diante do Nova Iguaçu, pela terceira rodada do Campeonato Carioca. O duelo marca o último jogo do Rubro-Negro antes da Supercopa do Brasil.

+ Ambulância com remédios vencidos atrasa início de jogo do Flamengo

VEJA OUTROS PONTOS ABORDADOS NA COLETIVA

Preocupações
- Essencialmente estamos em período de pré-temporada, fisicamente ainda não estamos em condições. Passaram apenas três dias e temos a necessidade de jogar. Corremos o risco de perder a fluidez e ter lesões. Isso é um processo que temos que dar tempo de jogo para os jogadores.

Análise do jogo
- Na primeira parte tivemos movimentos lentos, não fomos bem. Na segunda tentamos mais, mas o adversário se manteve lá atrás, muitas quebras no jogo. Também teve o atraso, foi muito tempo de espera. Tentamos muito, precisamos arriscar tudo no fim e deu para perceber algumas coisas importantes.

Saída de Pedro
- O Pedro veio mais tarde, chegou depois aos treinos. Nem todos estão em condições de jogar de três em três dias. Essa foi a minha preocupação. O Mateusão foi para forçarmos no último terço com cruzamento. Tiramos praticamente todos, Everton, Ayrton. Para evitar lesões, as questões devem ser guardadas.

João Gomes
- Aquilo que faz parte do planejamento precisa ficar no clube. Só pode vir à público quando tudo se concretizar.