Vítor Pereira mapeia posições carentes no Corinthians e faz indicações


O técnico Vítor Pereira tem participado do planejamento do Corinthians para 2023. Mesmo sem saber se fica no clube, o treinador tem apontado alguns diagnósticos importantes para o departamento de futebol fortalecer a equipe no ano que vem. Entre esses apontamentos, VP deixou claro à direção corintiana a prioridade na busca por um lateral-esquerdo, um atacante de beirada e um centroavante.

+ Relembre 12 momentos marcantes na história do Corinthians

No caso da primeira posição, o estafe de Vítor entende que vive entre dois limites perigosos: um atleta de idade avançada, que tem a sua importância muito mais voltada a experiência do que a parte técnica, que é o caso de Fábio Santos, e uma peça mais jovem, que precisa maturar um pouco mais, principalmente em jogos de carga emocional elevada, como Lucas Piton.

O extremo pelo lado direito é o que o Timão mais precisa há algum tempo, segundo VP. O treinador sente a necessidade de um ponta veloz, que ataque os corredores e, quando precisar, também feche em uma linha de cinco. O treinador corintiano quer um atleta com essas características desde a saída de Gustavo Mantuan, emprestado ao Zenit, da Rússia, em contrapartida ao empréstimo do atacante Yuri Alberto ao Coringão.

No ataque, Vítor acredita ser importante que o Corinthians tenha uma sombra para Yuri Alberto. O técnico português não quer deslocar Róger Guedes como centroavante todas as vezes que não tiver Yuri. Junior Moraes é a opção do elenco que poderia cumprir esse papel, mas passou boa parte da temporada com problemas físicos, o que fez com que VP observasse pouco o jogador.

Vítor Pereira, Duílio e Alessandro Nunes
Vítor Pereira, Duílio e Alessandro Nunes

Vítor Pereira com o presidente Duílio e o gerente de futebol Alessando em sua apresentação ao Timão, em fevereiro (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)

A diretoria corintiana já deixou claro ao Vítor Pereira que irá ao mercado reforçar o elenco para 2023, seguindo as orientações dadas pelo profissional. Até aqui, o técnico não indicou nomes, somente perfis de atletas. E a direção do clube alvinegro tentará alinhar esses diagnósticos com oportunidades de mercados que se enquadrem aos padrões adotados pelo departamento de futebol quando vai às compras: contratações sem custos ou a custos baixos, como empréstimos e aquisição de jogadores em fim de contrato, ou investimento em atletas que farão o Timão lucrar no futuro.

+ Confira a tabela do Brasileirão e simule a reta final

Na lateral-esquerda, a prioridade corintiana é Matheus Bidu, que pertence ao Guarani, mas que disputou a última temporada emprestado ao Cruzeiro. Destaque da Raposa no título brasileiro da segunda divisão, Bidu atualmente vale 1 milhão de euros (R$), que é a pedida do Bugre.

Para a ponta, o Corinthians ainda não encontrou uma grande oportunidade de mercado. Paulinho, ex-Vasco e que atualmente defende o Bayer Leverkusen, da Alemanha, seria esse atleta. O jogador está em fim de contrato com o clube alemão e deseja voltar ao Brasil. O Timão até se interessou, mas o Atlético-MG colocou carga pesada no negócio e está bem avançado com o atleta. A direção corintiana tem como perfil não entrar em leilão por atleta.

Para centroavante, o nome da vez é Pedro Raul, vice-artilheiro do Brasileirão, pelo Goiás, com 18 gols. O atacante pertence ao Kashiwa Reysol, do Japão, que pedirá 3 milhões de dólares (R$) pelo atleta. O Timão é o time do Brasil que tem conversas mais avançadas com o estafe do jogador e está confiante em tê-lo em 2022. Vítor Pereira gosta muito da opção.