Vítor Pereira admite baque após decisão e é pessimista sobre reta final do Corinthians no Brasileirão

Suspenso, VP não esteve no banco no último jogo da sua 'era' pelo Timão (Foto: Rodrigo Coca / Ag.Corinthians)


A derrota nos pênaltis para o Flamengo na final da Copa do Brasil ainda é uma ferida em aberto no Corinthians. Após o revés por 2 a 0 para o Fluminense, pelo Brasileirão, Vítor Pereira admitiu que o baque da decisão está influenciando o equilíbrio emocional da equipe, e adotou tom pessimista sobre a sequência do Timão no Campeonato Brasileiro.

+ Laterais deixam a desejar em derrota do Corinthians contra o Fluminense

- O equilíbrio emocional caiu. Ainda estamos tentando reagir ao que aconteceu. O futebol não nos dá tempo para isso. Para ganhar em Santos, tivemos que ir ao limite. Falta alegria, eu sei, nós, como equipe, temos que trazer essa energia, porque, sem ela, não vai ser possível competir. Teremos um final do Brasileiro muito complicado - disse VP.

O português falou abertamente sobre a dificuldade em motivar seus atletas após a derrota no Maracanã.

- Depois do jogo do Flamengo, em que fomos enchendo o balão de expectativa, naturalmente o balão estourou e nós, internamente, temos que ter a capacidade de dar a volta na situação. Cada um tem uma forma de reagir muito particular. Naturalmente, o clima emocional caiu um pouco, já percebi durante os treinos. Eu tentei com que reagissem - ponderou.

REVÉS CONTRA O FLU

Com a derrota diante do Fluminense, o Corinthians foi ultrapassado pela equipe de Diniz e perdeu seu posto no G4 do Brasileirão.

O técnico corintiano lamentou o revés contra um adversário direto, e voltou a falar sobre o peso de um resultado adverso em uma final.

- Esta derrota em casa contra um adversário direto, em caso de vitória daria uma margem muito maior. Mas eu não estava achando que seria um jogo fácil. Eu senti que hoje ia ser um jogo muito complicado. O Fluminense não perdeu uma final, fomos nós. Isso é uma coisa que pesa - comentou.

VP também falou sobre suas escolhas na partida e como as lesões atrapalharam a equipe em busca do empate.

- Já tínhamos alguns problemas na construção da equipe, porque Adson está fora, Yuri também, Gustavo saiu… Ao longo do jogo, foi perdendo soluções contra uma equipe que joga um futebol que desgasta, quando está em vantagem. Isso sem falar no Maycon, no Júnior Moraes

+ Veja tabela e simule a reta final do Campeonato Brasileiro

VEJA OUTRAS RESPOSTAS DA COLETIVA DE VP

SUBSTITUIÇÕES

Hoje tudo está acontecendo, falávamos no banco. Quando o Bruno Méndez entrou e teve aquela queda, pensei ‘mais uma substituição’. Parecia que tudo aconteceu hoje. Hoje foi um jogo com muitas incidências contra uma equipe que é forte e, para competirmos contra eles, temos que estar no nosso melhor nível

SOLUÇÕES PARA O JOGO
Se nós olharmos para o elenco, os extremos são Róger do lado esquerdo; quando nos falta o Yuri, o Róger vai de atacante, porque o Júnior não está e infelizmente não esteve quase a temporada toda; e temos um jovem que tem quase 20 anos, que não está preparado ainda (Giovane), não posso exigir isso dele. A solução é puxar o Róger para dentro, conseguiu fazer isso muito bem contra o Athletico-PR, mas hoje não conseguiu. Do lado direito, tínhamos Gustavo e Adson, os dois estão fora. Do lado esquerdo, o Vital