Com vínculo fora de campo, Pablo e Balbuena reforçam entrosamento

Quase inseparáveis nas escalações do Corinthians no início de 2017, Pablo e Balbuena apareceram juntos na sala de imprensa do CT Joaquim Grava também para conceder entrevista nesta terça-feira. Muito sorridentes – até porque o time só sofreu quatro gols em jogos oficiais na atual temporada –, os zagueiros fizeram questão de ressaltar que já estão bem entrosados também fora de campo.

“Responde ele primeiro, que é mais feio”, brincou Balbuena, em uma amostra do vínculo que criou com Pablo, emprestado pelo francês Bordeaux ao Corinthians neste ano. Em seguida, o paraguaio reforçou: “As coisas boas fora de campo ajudam a fazer o ambiente ser bom, levando a alegria para os jogos. O clima está muito bom, lindo, o que se nota pelo trabalho que estamos fazendo”.

Apesar de ter relutado a se manifestar sobre o assunto antes de Balbuena, também em tom de bom humor, Pablo seguiu o raciocínio do companheiro. “Costumo dizer que a gente deve ser uma família. Se pensarmos da mesma forma, crescemos ainda mais. Com contato fora de campo, fica melhor. Às vezes, um companheiro está passando por uma situação que a gente não sabe, e podemos ajudar”, comentou.

Por enquanto, os problemas são raros. O Corinthians justificou os sorrisos constantes de sua dupla de zaga com uma sequência de resultados positivos, os principais deles as vitórias por 1 a 0 sobre os rivais Palmeiras e Santos. Para Balbuena, que criou até um grupo de WhatsApp para unir ainda mais o elenco, quem não está jogando com frequência também tem se mostrado contente.

“O time todo está entrosado, inclusive o pessoal que entra no segundo tempo ou vai jogar pela primeira vez. Eles atuam normalmente, como se estivessem jogando desde sempre. Sempre falo com o Pablo fora dos treinos, apontando os aspectos a que devemos ficar atentos. É assim também com o Pedrão (Pedro Henrique), o Léo Santos, o Vilson e todo o pessoal da defesa”, disse o paraguaio.

Desatento ao discurso do seu amigo, Pablo precisou de ajuda para complementar essa resposta. “Qual foi a pergunta mesmo?”, coçou a cabeça, motivando mais uma brincadeira do amigo ao seu lado. “Ele é assim mesmo”, provocou Balbuena.