VÍDEO: Pilotos da F1 gravam mensagem antirracismo e se ajoelham antes do GP

·3 minuto de leitura

Após diversas reclamações de Lewis Hamilton nas últimas semanas, devido a problemas no GP da Hungria, a Fórmula 1 prometeu uma manifestação maior contra o racismo para o GP da Grã-Bretanha. Neste domingo, antes da corrida, a categoria divulgou um vídeo na transmissão oficial com os pilotos falando sobre a importância da luta contra o racismo e, em seguida, os pilotos tiveram novamente um momento para se ajoelhar.

Leia também:

Em fim dramático, Hamilton supera pneu furado e vence na Inglaterra TABELA: Hamilton aumenta vantagem sobre Bottas na F1 após vencer sobre três rodas

No vídeo, todos os pilotos do grid estiveram presentes, incluindo Sergio Pérez e Nico Hulkenberg, falando sobre a busca pela igualdade no esporte e na sociedade. Veja abaixo:

Na sequência, no protesto, que ficou conhecido devido ao jogador de futebol americano Colin Caepernick, 13 dos 20 pilotos se ajoelharam. Max Verstappen, Antonio Giovinazzi, Carlos Sainz, Charles Leclerc, Kimi Raikkonen e Daniil Kvyat, que já não haviam aderido ao protesto anteriormente, se mantiveram em pé, com Kevin Magnussen se juntando ao grupo.

Na coletiva da última quinta-feira, Romain Grosjean, diretor da Associação de Pilotos de Grande Prêmio, comentou sobre as críticas de Hamilton, afirmou que os dois se acertaram e que haviam conversado com a Liberty Media exigindo um protesto mais organizado para este fim de semana.

"Foi uma boa conversa com Lewis", disse Grosjean. "Eu pedi perdão, porque talvez eu tenha agido errado, mas achei que era o certo a fazer naquele momento. Na GPDA, trabalhamos com um sistema de votação por maioria, e senti que, se estaria errado se não cumprisse minha função de diretor ouvindo os pilotos insatisfeitos".

"Ele [Hamilton] mencionou que como um dos diretores todos estão me ouvindo, e que esse era o seu ponto. Acho que nesse aspecto ele estava certo".

"Foi uma ligação muito boa mesmo, e eu falei que não estava feliz com as notícias que haviam saído sobre mim e que, nas minhas redes, haviam muitas postagens sobre racismo, que eu era racista e mais, o que não é verdade".

"Não acho que você vai encontrar alguém no mundo dizendo que eu tenha feito algo do tipo. Então eu não estava muito feliz por ser tratado desse modo. Eu fui um dos primeiros a apoiar o protesto. Eu espero que um dia ainda tenhamos os 20 pilotos se ajoelhando e acredito que isso ainda vai acontecer".

Grosjean disse que, após resolver o problema com Hamilton, a GPDA e o hexacampeão conversaram com a FIA e a Liberty Media para organizar um protesto mais formal em Silverstone neste final de semana.

"Não é fácil para nós, pilotos, organizarmos essas coisas durante um evento, porque temos muito que fazer. Então queríamos uma orientação da Liberty sobre um procedimento claro, como aconteceu na Áustria. Acho que vai acontecer e todos saberão exatamente o que fazer".

PÓDIO: Hamilton vence com três rodas em GP da Grã-Bretanha maluco

PODCAST: Bastidores do futuro do GP do Brasil e os ambientes de F1 favoritos de Reginaldo Leme

Your browser does not support the audio element.