Uruguai e Coreia do Sul empatam sem gols em sua estreia na Copa do Catar

Uruguai e Coreia do Sul estrearam na Copa do Mundo do Catar nesta quinta-feira com um empate em 0 a 0, no jogo de abertura do Grupo H.

Uma cabeçada de Diego Godín aos 43 minutos do primeiro tempo e um chute de Federico Valverde no finalzinho do jogo pararam na trave do goleiro sul-coreano Kim Seung-gyu.

A partida foi disputada no estádio Education City, em Doha, diante de 41.663 torcedores. Na segunda rodada, o Uruguai medirá forças com Portugal, enquanto a Coreia do Sul enfrentará Gana.

- Son em campo -

Com sua estrela Son Heung-Min como titular, a Coreia do Sul começou sufocando a 'Celeste', que nos primeiros 15 minutos não conseguiu sair da pressão adversária e tampouco ficar com a bola.

Son, que passou por cirurgia há apenas duas semanas devido a uma fratura na face sofrida em um jogo da Liga dos Campeões no início de novembro pelo Tottenham, entrou em campo usando uma máscara de proteção.

"Pode ser que não tenha dado seu máximo esta noite, mas espero que esteja em condições para os outros jogos", disse o técnico da Coreia do Sul, o português Paulo Bento, sobre o seu principal jogador.

Federico Valverde e Rodrigo Betancur, os homens de criação da seleção uruguaia, foram anulados pela pressão sul-coreana e o time do técnico Diego Alonso passou a jogar atrás à espera de uma oportunidade.

"Um dos aspectos positivos é a agressividade. Sabíamos que lutariam muito, e gostei da maneira como respondemos. Movimentávamos a bola com orgulho, sem ter medo do adversário", elogiou o treinador português.

Mas o ritmo frenético imposto pela Coreia do Sul durou 15 minutos, tempo em que os laterais Kim Jinsu e Kim Moonhwan surpreenderam com sua velocidade, mas sem eficiência nos cruzamentos.

Após a pressão inicial, o Uruguai começou a aproveitar os espaços na linha alta da defesa da Coreia e Valverde deu o primeiro aviso aos 19 minutos.

Pouco depois, foi a vez de Facundo Pellistri de subir pela direita e cabecear para o meio da área, mas Darwin Núñez não conseguiu completar. Era a primeira grande chance do jogo.

Aos 27 minutos, novamente a 'Celeste' encontrou a defesa coreana adiantada, mas não aproveitou. Mathías Oliveira partiu do meio-campo em um contra-ataque e quando chegou na área serviu Núñez, mas seu passe não foi preciso e o goleiro Kim chegou antes do atacante do Liverpool.

O Uruguai equilibrou as ações e continuava insistindo com Pellistri pela direita. O jovem atacante do Manchester United, de 20 anos, encarava a marcação e conseguiu dois escanteios.

- Cavani substitui Suárez -

Em um deles, aos 43 minutos, os uruguaios quase abriram o placar. O capitão Diego Godín, jogador que mais vezes vestiu a camisa da 'Celeste' (160 jogos), subiu mais alto que a zaga coreana e cabeceou na trave, quando o goleiro já estava batido no lance.

E como numa reprise do primeiro tempo, a Coreia voltou do intervalo com um ritmo alucinante, e Uruguai novamente se fechou para apostar nos contra-ataques

Dessa forma, o time sul-americano teve mais uma grande chance de sair na frente aos 18 minutos com uma arrancada de Darwin Núñez, que chegou à linha de fundo e cruzou para trás, mas o goleiro da Coreia ficou com a bola.

Um minuto depois, Luis Suárez, que teve uma atuação discreta, foi substituído por Edinson Cavani.

Os asiáticos diminuíram a intensidade mais uma vez, e a 'Celeste' passou a ficar mais tempo com a bola.

Paulo Bento fez uma tripla substituição aos 30 minutos para renovar o fôlego da equipe coreana e poder voltar a pressionar. No entanto, foi o Uruguai que quase marcou aos 44, mas o espetacular chute de Valverde acertou o ângulo da trave do goleiro Kim.

Depois do jogo, Godín lamentou a má sorte da 'Celeste', mas ressaltou que a equipe deve deixar para trás a frustração e pensar em Portugal, seu próximo adversário.

"Não conseguimos o gol", afirmou o zagueiro, que considerou que é "importante não perder quando não dá para ganhar".

"Em um torneio como este não há tempo para lamentar. Você tem que pensar no próximo jogo", acrescentou.

ma/dr/cb