Uma vitória como titular, mas boas atuações: Guarín retorna ao Vasco como esperança

Luiza Sá
LANCE!
Guarín deve fazer a reestreia na primeira rodada da Taça Rio (Foto: Marcelo Goncalves/Photo Premium/Lancepress!)
Guarín deve fazer a reestreia na primeira rodada da Taça Rio (Foto: Marcelo Goncalves/Photo Premium/Lancepress!)


Em outubro de 2019, Fredy Guarín desembarcou no Rio de Janeiro para jogar pelo Vasco. Depois de negociar com o Flamengo, ele aceitou reduzir a pedida salarial para acertar com o Cruz-Maltino e foi rapidamente abraçado pela torcida. Por conta da recepção e de ter gostado do clube, o jogador colocou o time da Colina como prioridade. Agora, depois de meses de negociação, ele retorna para mais duas temporadas. Mas o que o técnico Abel Braga pode esperar do novo contratado? O LANCE! projeta.

Guarín fez 12 jogos pelo Vasco em 2019, com três gols marcados. Ele atuou por 90 minutos em seis deles. Com o colombiano como titular, o time carioca teve apenas uma vitória, contra o Cruzeiro, na penúltima rodada do Brasileirão, por 1 a 0. Além disso, foram três derrotas e cinco empates. Antes do duelo contra o time mineiro, o Cruz-Maltino havia vencido apenas três vezes - Botafogo, Internacional e CSA - e o volante entrou no 2º tempo, mas com boas atuações.

Quando conseguiu vencer a falta de ritmo e o peso acima do ideal, um problema que já vinha enfrentando na China, Guarín subiu a qualidade do Vasco de Vanderlei Luxemburgo. Bom nas bolas paradas e nas bolas de longa/média distância, ele melhorou a qualidade do passe e da criação de jogadas, algo que o novo treinador ainda precisa ajustar no elenco desta temporada. O colombiano, inclusive, é visto como um possível meia de criação, podendo atuar ao lado de Bruno Gomes e Raul (ou Andrey) para municiar os três atacantes na frente.



De acordo com o site "SofaScore", Fredy Guarín tem média de 1,3 finalizações por jogo nas 12 partidas que fez no Campeonato Brasileiro. Ele tem também média de 1,3 desarmes, 73% de dribles bem sucedidos e 50% de duelos ganhos. Levou apenas três cartões amarelos e nenhum vermelho.

Antes de atuar pelo Vasco e pelo Shanghai Shenhua (CHI), Guarín jogou na Inter de Milão (ITA), Porto (POR), Saint-Étienne (FRA), Boca Juniors (ARG), Envigado (COL) e Atlético Huila (COL), onde começou a carreira. Os jogadores e o técnico Abel Braga se mostraram empolgados com o retorno de Guarín, que era querido pelo grupo.

- Não sei (se vai fechar). Estou dependendo dos caras aí (risos). Vamos ver. Ele é um ótimo jogador, um cara diferenciado no campo e nos treinamentos. Treinei com ele, fiquei bastante tempo aqui. É diferente - comentou o zagueiro Miranda.

- Conversei com o Guarín no hotel, o conheço bem dos tempos de Porto. Ele esteve bem aqui, quando adquiriu a forma ajudou os colegas. Sei da qualidade vendo pela televisão - afirmou Abel Braga.

- O Guarín é um grande jogador. se ele acertar vai ser muito bem vindo. sabemos da qualidade dele, com certeza vai ajudar a gente - disse Leandro Castan.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também