A um dia da estreia, Natasha Rosa é liberada de punição por doping e poderá competir em Tóquio

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A brasileira Natasha Rosa, atleta do levantamento de peso que havia sido suspensa por doping em maio, foi liberada pelo CAS (Corte Arbitral do Esporte) e poderá disputar a Olimpíada de Tóquio.

Rosa, que compete na categoria 49 kg, está com a delegação nacional no Japão e fará sua estreia nos Jogos nesta sexta-feira (23), às 21h50 (de Brasília).

No exame que levou Natasha à suspensão, foi constatada a presença de hidroclorotiazida e eloraminofenamida, substâncias consideradas diuréticas e que podem mascarar a presença de outras substâncias proibidas. A punição foi confirmada em maio e, a partir do dia 7 daquele mês, a atleta iniciou o período de suspensão preventiva.

O CAS entendeu que houve grau mínimo de negligência por parte da brasileira e definiu sua punição em 30 dias. Como já havia cumprido dois meses de pena preventiva, foi liberada pela entidade após audiência do departamento antidoping da Corte Arbitral do Esporte e está liberada para competir em Tóquio.

"A Corte Arbitral do Esporte acolheu a nossa tese de defesa, entendeu que a atleta teve um grau mínimo de neglicência e que isso ensejaria um período de suspensão das atividades esportivas por um mês. Como ela já havia cumprido dois meses de suspensão provisória, esse período foi considerado para fins de abatimento, razão pela qual a atleta neste momento encontra-se plenamente elegível para participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio", disse o advogado que defendeu a atleta no caso, Marcelo Franklin.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos