Um 'campeonato' depois do 4 a 4, Flamengo e Vasco se reencontram com semelhanças e diferenças

Felippe Rocha e Matheus Dantas
·2 minuto de leitura


Uma pandemia de coisas ocorreram entre um jogo de outro, mas é como se tivesse se passado só um ano no universo do futebol. Entre o Flamengo x Vasco do segundo turno do atual Campeonato Brasileiro e o da temporada passada há semelhanças e diferenças. Ambas as partidas pela 34ª rodada.

Em 2019, o confronto que terminaria 4 a 4 teve data antecipada. Neste 2021, o novo coronavírus postergou todo o calendário do último ano. Nesta quinta-feira, os times se encaram com o Rubro-Negro tentando se aproximar do líder Internacional. O Cruz-Maltino precisa se afastar mais da zona de rebaixamento.

Foi após aquela partida que Bruno Henrique afirmou que o Flamengo estava "em outro patamar". A provocação, porém, foi num contexto de empate do Vasco no apagar das luzes que findou a possibilidade de título do Flamengo na partida seguinte. O título seria confirmado mais adiante.

Por sua vez, o Vasco estava, na reta final do Brasileirão 2019, confortável como almeja estar em breve na atual competição. Antes daquele empate, o time que precisou subir uma montanha para, desde o início do campeonato, sair da zona de rebaixamento, sonhava com vaga na Copa Libertadores. Ficou no sonho.

O time de Jorge Jesus atropelou diferentes adversários e enfileirou títulos. Porém, Domènec Torrent durou pouco e, com Rogério Ceni, a equipe titubeou. A disputa pela taça, porém, segue real. Saíram atletas como Rafinha, Pablo Marí e Reinier; chegaram outros como Gustavo Henrique, Isla e Pedro.

Montagem - Luxemburgo e Jorge Jesus
Montagem - Luxemburgo e Jorge Jesus

Luxa voltou ao Vasco enquanto Rogério tenta emular o Fla de Jesus

No Vasco, o técnico é o mesmo Vanderlei Luxemburgo, mas não sem antes Abel Braga, Ramon Menezes e Ricardo Sá Pinto se alternarem em 2020. Do time naquele 13 de novembro de 2019, seguem Fernando Miguel, Yago Pikachu, Ricardo Graça, Marcos Júnior e Gabriel Pec.

A mais recente versão do Flamengo é a que mais se aproxima da que Jorge Jesus foi capaz de implementar. No time de São Januário, Luxa voltou na virada do ano para gerar exatamente a evolução que liderou no campeonato passado.

Aquele 4 a 4 foi marcante sob diversos aspectos. Nesta quinta-feira, ambos precisam de mais do que um novo empate.