Um Barcelona sem autocrítica e negligente

Lembram-se dos anos 1980? Foram anos em que o Barcelona se conformava em ser o segundo, enquanto ficava na busca pelo considerado melhor jogador do mundo. De um tempo para cá, o clube voltou a esta época obscura na qual não havia nem plano ou ambição para se desenvolver.

É descomunal ver como Gerad Piqué e boa parte da torcida deixou o Camp Nou satisfeitos e orgulhosos diante de outra atuação ridícula na Champions League. O primeiro vexame, o do Parc des Princes, foi um claro aviso que o time, negligente em suas funções, teria dificuldades com o campeão italiano, um time muito bem armado e praticamente letal.

NEYMAR BARCELONA JUVENTUS 04192017

O Barça entrou em campo pensando em fazer cinco gols e só conseguiu finalizar uma vez em direção ao gol de Buffon. Não pode gerar nenhuma classe de orgulho, pelo menos se houver autocrítica. Tanto no Juventus Stadium quanto no Camp Nou fez o que quis a Vecchia Signora e negar a realidade não fará bem ao Barcelona, que não sabe aproveitar o melhor ataque do mundo.

O trio MSN não fez um gol sequer nos 180 minutos diante da Juventus. Quase não finalizou ao gol. Porém, não tem problema, porque a equipe e a torcida preferem ver outro lado em vez de corrigir o que é evidente: o time está mal arrumado dentro de campo. É necessária uma reconstrução e, especialmente, decisões impopulares que corrijam os erros cometidos no último mercado de transferências.