UFC 283: ex-imigrante ilegal, Glover Teixeira tem trajetória de superação através do MMA

Aos 42 anos, o brasileiro pode fazer história no UFC (Foto: Reprodução/Instagram)


Aos 42 anos de idade e exatos 92,9kg, Glover Teixeira pode chegar novamente ao topo do UFC. Poucos meses após ter perdido o cinturão da categoria dos meio-pesados, o brasileiro de Sobrália, Minas Gerais, tem no UFC Rio a possibilidade se tornar um dos lutadores mais velhos a ficar com o cinturão do Ultimate. O lutador que viu sua vida se transformar através das artes marciais.

Neste sábado, na Jeunesse Arena, Glover enfrenta pela primeira vez o norte-americano Jamahal Hill, que é 11 anos mais novo que o brasileiro. Após quase três anos, o principal evento de MMA do planeta retorna a capital carioca para a realização do UFC 283.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

+ UFC volta ao Brasil: lembre todos os brasileiros que já foram campeões da organização

CARREIRA NO UFC

Glover estreou no MMA em 2002, mas somente chegou ao UFC em 2012, aos 32 anos de idade. Em sua primeira luta na companhia, no UFC 146 Glover exibiu as suas credenciais e derrotou o estadunidense Kyle Kingsbury em 1:53 minutos. Seu estilo de luta em pé e com bastante intensidade viraram sua marca registrada no Ultimate.

No entanto, recorrentes lesões, sendo muitas delas antecedentes a combates pelo cinturão da categoria, perseguiram a sua trajetória no UFC, deixando o brasileiro longe do título. A melhor oportunidade do brasileiro veio no UFC 172 - em meio a uma grande fase na carreira - diante da lenda do MMA, Jon Jones. Contudo, em 2014, Glouver acabou sendo derrotado pelo norte-americano por decisão unânime dos juízes, encerrando assim sua invencibilidade de quase oito anos.

+ UFC 283: Deiveson e Glover batem peso e confirmam lutas pelo cinturão no Rio

Apenas em 2021, Glouver Teixeira teria uma nova oportunidade de conquistar o título da categoria, contra Jan Blachowicz, no UFC 267. Com uma grande atuação, o brasileiro derrotou o polonês via finalização e conquistou o título do peso-meio-pesado, se tornando o segundo lutador mais velho na história do UFC a ser campeão.

Entretanto, em 2022, na sua primeira defesa de cinturão, Glouver acabou sendo finalizado no quinto e último round pelo tcheco Jiří Procházka, no UFC 275.

PODE FAZER HISTÓRIA

No UFC Rio, o mineiro pode recuperar o título máximo da categoria e se tornar o segundo lutador mais velho a ser campeão no Ultimate. Ficando somente atrás de Randy Couture, o “Capitão América”, membro do Hall da Fama da companhia de MMA. Seu último título foi conquistado aos 43 anos de idade, em 2007, no UFC 68.

+ José Aldo descarta retorno ao UFC e foca em carreira no boxe: 'Já tenho adversário'

TRAJETÓRIA

Glouver Teixeira teve que lutar muito em sua vida para conseguir fazer disso uma profissão. Aos 20 anos de idade, ele deixou Sobrália e se mudou para Connecticut, nos Estados Unidos, com o objetivo de ajudar a sustentar sua família. Por lá, ele encontrou um emprego em paisagismo.

Contudo, a sua chegada no país não foi nada tranquila, já que o brasileiro entrou ilegalmente nas terras norte-americanas. Glouver atravessou o deserto mexicano para conseguir ingressar nos EUA.

Com isso, o green card (visto permanente de imigração) e o visto para lutar no UFC acabaram sendo adiados. O lutador foi chamado para a companhia em 2007, mas só pôde ser contratado em 2012 após regularizar sua situação.

+ Charles do Bronx volta a alfinetar McGregor e pede confronto: 'Ele sabe o que vai acontecer'

INÍCIO TARDIO

Até os seus 22 anos de idade, Glouver nunca tinha feito sequer alguma arte marcial na vida. Até que ele foi visto como um potencial bom lutador por um colega que teve durante os trabalhos de paisagismo. O homem lhe mostrou uma fita da lenda do jiu-jitsu brasileiro Royce Gracie em ação, as imagens acabaram o influenciando a buscar conhecer o mundo do MMA.

O brasileiro começou a treinar em Connecticut e foi descoberto pelo ex-lutador John Hackleman, que o chamou para fazer parte da sua equipe na Califórnia, na mesma academia que Chuck Lidell, a lenda do UFC. Um ano depois, Glover já estreava na modalidade.

Atualmente, o brasileiro treina e instrui em sua própria academia a "Teixeira MMA", em Bethel, Connecticut. Em novembro de 2020, Glouver tornou-se cidadão dos Estados Unidos, mas segue representando o Brasil no UFC. Na companhia são, ao todo, 16 vitórias e 6 derrotas, em 32 combates.

+ Deiveson come banana e devolve provocação para Moreno durante pesagem do UFC 283

UFC RIO

Na noite deste sábado, o brasileiro, que é recordista de vitórias na categoria, visa recuperar o topo dos meio-pesados do Ultimate. O UFC Rio começa às 20h (horário de Brasília). O evento terá a transmissão da Band e UFC Fight Pass.