UFC 283: Deiveson Figueiredo é derrotado por Brandon Moreno e perde o cinturão do peso-mosca

Brasileiro deve mudar de categoria após a derrota para o rival (Foto: MAURO PIMENTEL/AFP)


Deiveson Figueiredo, o Deus da Guerra, foi superado pelo arquirrival Brandon Moreno e perdeu o cinturão dos pesos-moscas. Após sofrer um forte golpe no rosto, o brasileiro não teve mais condições médicas de continuar o combate, que acabou sendo interrompido pela equipe de arbitragem. A decisão foi muito contestada pelos torcedores presentes no UFC Rio, que alegaram que a ação de Moreno teria sido ilegal. Depois do revés, Deiveson anunciou que deixará a categoria.

O lance fatídico aconteceu nos primeiros minutos do terceiro round, Deiveson teve a visão afetada após o golpe, não conseguindo abrir um dos olhos. Com isso, estando impossibilitado de continuar a luta, segundo as orientações médicas do Ultimate.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Durante o primeiro round, os rivais se estudaram bastante e tentaram golpes de longa distância, em razão da boa guarda executada por ambos. No final da primeira etapa, Moreno tentou surpreender o brasileiro e o levou para o chão. Contudo, por muito pouco, a tática não se vira contra ele e Deiveson não o imobiliza. Mas não havia tempo para mais nada e sino soou.

+ Josiane Nunes, Ismael Bonfim e Jailton Almeida brilham em card preliminar do UFC 283

Para o segundo round, a torcida brasileira iniciou empurrando o Deus da Guerra, que novamente tentou imobilizar o mexicano, dessa vez com uma guilhotina, mas também sem sucesso. Na reta final do combate, Moreno esfriou a luta e manteve Deiveson no chão, próximo às grades.

Deiveson encurtou ainda mais o espaço de Moreno e buscou espaços na guarda do mexicano. Logo no começo do terceiro tempo do combate, Brandon atingiu um forte golpe no rosto do brasileiro, que chegou a pedir ao árbitro a paralisação da luta, alegando que o mexicano teria o atingindo com o dedo no olho. Com a negativa, e com muito sangue atrapalhando a sua visão, o Deus de Guerra não teve outra alternativa a não ser esfriar a luta e tentar anular as investidas do rival.

Do terceiro para o quarto o round, as arquibancadas da Jeunesse Arena direcionaram muitas ofensas ao árbitro do combate, pela decisão de não interromper o combate, tendo entendido que houve alguma ilegalidade. Minutos depois, o árbitro da luta sinalizou que Deiveson não teria condições de prosseguir. Houve uma revolta generalizada dos torcedores na arena, até mesmo um copo e outros objetivos foram arremessados em direção ao octógono. O mexicano foi muito hostilizado pelos brasileiros.

+ Evento do UFC no Rio tem venda de 'cinturão banhado a ouro'; veja o preço

Ao final da luta, o Deus da Guerra foi muito exaltado pelos torcedores que gritaram "É campeão". Deiveson não reforçou o coro dos torcedores de uma possível irregularidade. Ele agradeceu e demonstrou preocupação com a lesão na região do olho. O brasileiro anunciou que subirá de categoria, por entender que não tem mais condições nem motivos para permanecer no peso-mosca após as recentes conquistas