Uefa aprova novos formatos de competições de seleções masculinas

As eliminatórias da Europa para as competições de seleções, como a Copa do Mundo de 2026 e a Eurocopa de 2028, serão reduzidas a grupos de quatro ou cinco equipes (contra os cinco ou seis atualmente), anunciou nesta quarta-feira a Uefa, que também reformou a Liga das Nações.

Segundo a nova fórmula adotada pelo Comitê Executivo da entidade, os torneios eliminatórios para as fases finais terão menos jogos, já que os 50 países europeus serão divididos em grupos mais grupos.

O objetivo da reforma, segundo a Uefa, é "oferecer competições mais atrativas e emocionantes dentro das datas existentes, assim como reforçar os recursos das federações nacionais e garantir uma recuperação constante do impacto da pandemia".

Para isso, "um formato mais compacto dá como resultado Eliminatórias Europeias mais atrativas sem aumentar o número total de jogos".

Os vencedores dos 12 grupos estarão classificados diretamente para a Copa do Mundo e a Eurocopa, assim como os melhores segundos colocados.

Os demais segundos de cada chave disputarão uma repescagem contra equipes classificadas através da Liga das Nações da Uefa.

Com a ampliação do Mundial para 48 seleções em 2026, a Europa terá 16 representantes, três a mais dos que estiveram no Catar em 2022. Por outro lado, a Eurocopa 2028 continuará com 24 participantes.

Sobre a Liga das Nações, criada pela Uefa em 2018 para substituir os amistosos, o formato será modificado para incluir uma fase de quartas de final com jogos de ida e volta, mantendo o 'Final 4' (semifinais e final) com jogo único em junho.

Estas novidades deverão se adaptar às reformas anunciadas em dezembro pela Fifa, que prevê a partir de 2025 fundir seu calendário de setembro e outubro e organizar em março torneios amistosos, os 'FIFA World Series', que reunirão equipes de diferentes confederações.

A Uefa também decidiu nesta quarta-feira que a próxima Supercopa será disputada em agosto em Atenas, tirando a organização deste jogo da cidade russa de Kazan, sede inicialmente prevista, por conta das sanções contra Rússia e Belarus pela invasão à Ucrânia.

Por fim, a Uefa retirou o protocolo sanitário relacionado à covid-19, adotado a partir de 2020, mas ressaltou que continuará "vigiando de perto a pandemia".

jed/kn/cfe/bvo/mcd/cb