'Twisties': o que é o problema relatado por Simone Biles na Olimpíada?

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Simone Biles desistiu de final individual geral da ginástica artística em Tóquio (Foto: LOIC VENANCE/AFP via Getty Images)
Simone Biles desistiu de final individual geral da ginástica artística em Tóquio (Foto: LOIC VENANCE/AFP via Getty Images)

Você já ouviu falar em "twisties"? O termo, bastante desconhecido do público em geral, ganhou destaque na madrugada desta sexta-feira quando a americana Simone Biles o usou para explicar um pouco os motivos que levaram à sua desistência da final individual geral da ginástica artística. Antes, ela havia abandonado a disputa por medalhas em equipe alegando que precisava cuidar de sua saúde mental.

Biles falou sobre o assunto em publicação nas redes sociais. A ginasta respondeu à perguntas de seguidores no Instagram.

Leia também:

O que são "twisties"?

Trata-se de um fenômeno da perda da noção de espaço. É uma espécie de bloqueio ou confusão mental que causa uma "desconexão" entre o corpo e a mente. Em casos assim, movimentos como os da ginástica artística se tornam muito difíceis e até mesmo perigosos.

"É a sensação mais louca de todas. Não ter um centímetro de controle sobre seu corpo. O que é ainda mais assustador é que, como não tenho ideia de onde estou no ar, também não tenho ideia de como vou pousar ou onde vou pousar", disse Biles ao explicar o problema.

A americana explicou que vem sentindo isso desde a sua chegada ao Japão, mas que sofreu com maior intensidade pouco antes do início das competições. Situações de estresse, por exemplo, podem reforçar ou ocasionar os "twisties".

"É, honestamente, petrificante tentar alguma habilidade mas não ter sua mente e corpo em sincronia. Desta vez é literalmente em todos os aparelhos, o que é uma m... muito ruim", acrescentou a ginasta.

Biles também compartilhou um vídeo mostrando a dificuldade em completar os movimentos em um treino por conta de toda essa situação. Posteriormente, a publicação foi apagada pela atleta. Veja abaixo.

Vale lembrar que, em sua apresentação de abertura no salto durante a final por equipes, Biles não conseguiu executar bem os movimentos e teve performance bastante abaixo do esperado. Foi a pior nota de toda a disputa no aparelho.

Problema coloca atleta em risco

Embora os "twisties" sejam desconhecidos por muita gente, no mundo da ginástica não é tão incomum assim. A própria Biles relatou já ter sofrido do problema no passado e que precisou de "duas ou mais semanas" para se recuperar totalmente.

Outros ginastas já experimentaram a sensação, que muitas vezes pode colocar a integridade física do atleta em perigo. A ex-ginasta Jacoby Miles, por exemplo, relatou nas redes sociais ter sofrido do problema quando acabou quebrando o pescoço durante uma performance. Ela perdeu os movimentos do corpo em função do acidente e hoje está paralisada.

Em março deste ano, a britânica Claudia Fragapane, de 23 anos, também disse ter sofrido do mesmo bloqueio mental em um treinamento. Ela acabou aterrissando de cabeça depois de um salto e sofreu paralisia temporária.

"É realmente perigoso duvidar, pouco que seja, de si mesma. Você pode acabar se machucando de verdade", contou a britânica em entrevista à BBC.

Diante da situação, a presença de Simone Biles nas próximas finais individuais da ginástica em Tóquio ainda é incerta. Ela está classificada para a disputa por medalhas em todos os aparelhos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos