Tuchel e Leonardo são contra saída de Cavani do PSG

AFP
Edinson Cavani comemora um gol pelo PSG na Copa da França, 5 de janeiro de 2020
Edinson Cavani comemora um gol pelo PSG na Copa da França, 5 de janeiro de 2020

A saída de Edinson Cavani do Paris Saint-Germain parece mais distante, após o diretor esportivo do clube, o brasileiro Leonardo, afirmar que não pretende vender o atacante uruguaio na janela europeia de janeiro, anunciou nesta terça-feira o técnico Thomas Tuchel.

"Temos (Tuchel e Leonardo) o mesmo ponto de vista. Não gostamos muito de mudanças durante o inverno, porque isso não é Monopoly", declarou o técnico alemão em coletiva de imprensa, confirmando a informação dada pelo diário esportivo L'Equipe.

"Leonardo é muito experiente. Ele sabe como ganhar títulos e sabe o que é necessário para que uma equipe alcance esse objetivo. Queremos ganhar todos os títulos possíveis e para isso precisamos de uma grande equipe", completou Tuchel.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Cavani, maior artilheiro da história do PSG (198 gols), tem contrato com o clube parisiense até o fim da atual temporada. Segundo a emissora espanhola RMC, o uruguaio chegou a um acordo de contrato de dois anos e meio com o Atlético de Madrid para se transferir já em janeiro.

"É um vestiário, uma equipe que trabalha bem junta, os jogadores criaram um espírito de equipe entre eles. E toda vez que um jogador sai ou chega, isso cria algumas incertezas, e não gostamos muito disso. Estamos felizes com o grupo que temos agora", analisou Tuchel.

Desde que o PSG contratou o centroavante argentino Mauro Icardi no início da temporada, Cavani, vítima de repetidas lesões, perdeu sua vaga cativa na equipe titular.

"Kylian (Mbappé) e Mauro (Icardi) vêm jogando muito bem juntos. Foi duro para Edison lutar e se machucar. Ele está voltando agora a lutar por seu lugar, e é isso que lhe pedimos", explicou o técnico.

"É uma situação com uma grande concorrência, todo mundo quer jogar, mas não posso prometer nada a ninguém. É sempre uma competição, e isso é uma força para uma equipe como o PSG", concluiu.

Leia também