Trio brasileiro brilha em competições de jiu-jitsu antes do UFC Brasília

Yahoo Esportes
Especialista no chão, Rani Yahya já finalizou 10 rivais no UFC e WEC (Hector Vivas/Getty Images)
Especialista no chão, Rani Yahya já finalizou 10 rivais no UFC e WEC (Hector Vivas/Getty Images)

Doze brasileiros estão escalados para o retorno da franquia a solo nacional no dia 14 de março, em Brasília, e três atletas decidiram se testar nos tatames antes de calçar as luvas de MMA novamente.

Charles do Bronx, que faz a luta principal do UFC Brasília contra o norte-americano Kevin Lee, derrotou Lucas Barros por pontos em uma batalha de 10 minutos em São Paulo, no último sábado. Rani Yahya e Jussier Formiga, por sua vez, enfrentaram mais de um oponente cada no Mundial Sem Quimono da IBJJF, maior federação de jiu-jitsu dos Estados Unidos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Yahya, faixa-preta formado por Athaíde Jr. e campeão do ADCC (principal torneio de lutas sem quimono do mundo) em 2007, fez fila entre na categoria máster pena, garantindo a medalha de ouro após bater Damon Morgan na final. Formiga não chegou ao lugar mais alto do pódio, mas ficou com o bronze no máster pluma.

Formiga contou ao blog que não competia no jiu-jitsu há cinco anos, e se testar novamente meses antes de sua luta com Brandon Moreno foi a melhor decisão, uma vez que ele precisou ficar um tempo de molho devido a uma cirurgia no ombro depois de sua última luta no UFC, uma derrota para Joseph Benavidez.

“Lutar o Mundial na Califórnia foi uma motivação a mais porque eu estava sem treinar há três meses, então foi bom para a máquina voltar a funcionar”, disse Formiga. “Depois do campeonato me ofereceram a luta com o Brendan Moreno em Brasília e eu aceitei. Estava tudo encaminhado”.

Para Yahya, competir no Mundial Sem Quimono da IBJJF foi a realização de um sonho. Como estava voltando de recuperação de lesão, o brasiliense conseguiu encaixar o torneio em sua agenda de compromissos antes de fechar o acordo para enfrentar Enrique Barzola na capital federal.

“Quando comecei a lutar MMA, meu foco ainda era o submission (jiu-jitsu sem quimono), eu tinha o sonho de ser campeão do ADCC”, conta o lutador. “Fui campeão do ADCC em 2007 e no dia seguinte eu assinei com o WEC, que era o maior evento de MMA na época. A partir dali, meu foco passou a ser o MMA. Nesse mesmo ano teve a primeira edição do Mundial. Fiquei meio dividido, mas não tinha mais como voltar. Eu estava em uma plataforma bem maior, mas esse ano rolou”.

Apesar do retorno triunfal aos tatames, Yahya não cogita tornar isso um hábito. Seu foco é buscar o cinturão dos pesos galos (61kg) do UFC, a começar com uma finalização sobre Barzola diante de seus conterrâneos, e correr atrás de mais um título no ADCC demandaria dedicação exclusiva. Formiga pensa diferente, e promete se aventurar outras vezes no futuro.

“Voltar a lutar contra a nova geração foi muito bom”, disse o peso-mosca do UFC. “A regra mudou muito, os caras não lutam mais pra finalizar, só lutam por vantagem, e isso é f… Mas foi muito motivador para mim. Pode ter certeza que vou voltar a lutar depois dessa minha luta no UFC. Quem sabe ainda luto um Pan-Americano ou um campeonato Mundial”.

Leia também