Triatleta brasileiro vai pedalar mais de 18 horas por causa social

Márcio de Miranda
·2 minuto de leitura


O triatleta brasileiro Ricardo Medeiros, de 31 anos, que atualmente mora na Austrália, vai encarar, neste sábado (7/11), o desafio conhecido no mundo do ciclismo como Everesting _ subir repetidas vezes uma mesma montanha até atingir a altimetria acumulada de 8.848m de altitude, altura equivalente ao Monte Everest, no Tibete, que faz parte das Cordilheiras do Himalaia _ por uma boa causa.

Ricardo pretende arrecadar fundos para comprar cestas básicas que serão doadas para ONG Ação Querer Bem, que atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social na comunidade da Cidade de Deus, no Rio de Janeiro. Essa ONG tem projetos para crianças e adolescentes baseados na pratica esportiva e outras atividades educacionais.

O local escolhido por Ricardo para o seu Everesting é a Taronga Zoo Hill em Sydney, na Austrália, para atingir a altimetria do Everest. Ele vai subir a montanha 120 vezes, no mesmo dia, para completar o desafio.

“Estimo que a distância total será aproximadamente de 300km”, disse Ricardo. "Devo levar mais de 18 horas para atingir a altimetria do Everest".

Os recursos arrecadados pela campanha serão utilizados na compra de cestas básicas para famílias brasileiras impactadas pela COVID-19. A meta é arrecadar 2.200 dólares australianos (cerca de R$ 4.052) para comprar 100 cestas básicas e ajudar 100 famílias a superar esse momento. "Se a meta for superada, mais famílias terão comida na mesa", diz Ricardo.

O triatleta começou a pedalar aos 12 anos, com uma bicicleta muito simples, de ferro e ele sabe muito bem o que é dificuldade. Por não ter dinheiro para uma bicicleta nova, chegou a usar um pneu dentro do outro para continuar pedalando até ter dinheiro para trocá-lo, além de ter que mandar soldar o quadro várias vezes.

Aos 21 anos, Ricardo se mudou para Austrália, onde começou a treinar triatlo no Bondi Running and Triathlon Club - BRAT e se inscreveu no Ironman (3,9km de natação, 180km de ciclismo e 42km de corrida). Mas não sabia nadar e nem correr, mas se superou e completou a prova. Ele também tem histórico de longas pedaladas. Já foi de Nova Iorque até Miami e de Portugal até a Turquia.

Visitando o Brasil em 2016, conheceu o ultramaratonista Márcio Villar, lenda nacional, detentor do recorde que entrou no Guiness Book em 2015, por percorrer 827,16km na esteira, em nove dias. Desbancando assim o francês Pierre-Michael Micaletti, que, em 2012, correu em uma semana a distância de 822,31km. Como Márcio sempre esteve envolvido em projetos de caridade, ele vai receber as cestas para entregar à ONG Ação Querer Bem.

Para ajudar na campanha de Ricardo, clique aqui

Para ajudar a Ong Querer Bem, acesse este link