"Treinar com Messi e Iniesta era brutal", lembra meia do Celta de Vigo

Goal.com

Lionel Messi e Andres Iniesta formaram uma das duplas mais espetaculares da história do Barcelona e do futebol mundial. E para Denis Suarez, a experiência de poder treinar com esse dois craques fez valer a pena sua passagem pelo clube catalão. 

O jogador acredita que teria um papel mais importante se tivesse ficado na equipe do Manchester City, mas revelou que não tem nenhum arrependimento sobre sua escolha.

“Fiquei no City por dois anos. Eles queriam que eu renovasse, mas eu preferia ir para Barcelona. Ninguém sabe o que teria acontecido”, contou ao The Athletic. “Talvez, se eu tivesse ficado, jogaria regularmente lá, mas tomei a decisão de ir para o Barcelona e foi o certo para mim, porque joguei muitos jogos pelo primeiro time”, completou.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Mas além ao vestir a camisa do Barcelona, o que mais impressionou Denis Suarez foi poder treinar ao lado de Messi e Iniesta. Para ele, poder ver as duas lendas atuando de perto fez com que aprendesse muito e evoluísse como jogador.

“Treinar com Lionel Messi e Andres Iniesta ... brutal. Leo é o melhor. Andres é um exemplo para mim. Mal podia esperar para aprender com eles e jogar com eles. Messi treina como ele joga, ele gosta de vencer. Em todas as sessões ele tem que vencer”, revelou o jogador.

Messi Iniesta
Messi Iniesta
Foto: Getty Images

Mas além dos dois craques, um outro espanhol do Manchester City também impressionou Suarez, mesmo que talvez não tenha o mesmo reconhecimento de seus compatriotas Xavi e Iniesta. 

“No City eu treinei com David Silva e ele está lá em cima. Na Inglaterra todos apreciam totalmente o brilhantismo de Silva. Mas na Espanha não tenho certeza de que percebam o quão incrível ele tem sido. Silva atingiu as alturas de Xavi e Iniesta. Não posso falar com autoridade sobre toda a história do City, mas Silva, sem dúvida, foi o melhor jogador do City na última década", destacou.

Denis Suárez estava no Celta de Vigo quando, em 2011, chamou a atenção do Manchester City. Mas após apenas duas partidas oficiais pelo clube, acabou retornando à Espanha para se juntar ao Barça. Como de costume, o clube acabou emprestando o jogador antes de integrá-lo ao time principal. 

Mas depois de seu empréstimo, as coisas não aconteceram como o meia esperava. Então, foi emprestado de novo, dessa vez ao Arsenal, até que acabou retornando ao Celta de Vigo. Agora, o jogador espera deixar as lesões de lado e brigar por uma vaga na seleção da Espanha.

“Minha prioridade agora é jogar futebol regularmente e competir por um lugar na seleção espanhola. Sinto que o Celta é um bom lugar para eu fazer isso. Voltei para casa porque quanto mais jogos jogar, maior a chance que tenho”.

“Nesta temporada, tive alguns problemas no tornozelo. Mas tive fases em que estou jogando muito, criando chances. É isso que eu quero mostrar”, finalizou.

Enquanto isso, os organizadores de La Liga trabalham em conjunto com as autoridades da Espanha para que a competição possa retornar. No momento, os jogadores passaram por testes para o novo coronavírus e aos poucos os clubes estão retornando aos treinos.

Leia também