Treinador detalha treinamento de McGregor para luta contra Mayweather

No próximo sábado (26), o mundo do boxe e do MMA se colidirão quando Conor McGregor, campeão peso-leve (70 kg) do UFC, enfrentar Floyd Mayweather. O duelo provavelmente quebrará diversos recordes, mas os especialistas dos esportes de combate seguem céticos quanto as reais chances do irlandês desbancar o invicto ‘Money’ em sua estreia na nobre arte. John Kavanagh, treinador do atleta de artes marciais mistas, tem conhecimento sobre o fato de seu pupilo ser o azarão para a disputa, mas nem por isso tentará convencer o público do contrário no momento.

“Acho que qualquer resposta que eu dê não mudará a ideia deles”, contou Kavanagh em entrevista à reportagem da Ag. Fight quando perguntado sobre a recepção de seu atleta após o anúncio de sua estreia no boxe. “Então, espero mudar a opinião deles no próximo dia 26 de agosto”.

Quando McGregor e Mayweather subirem aos ringues do ginásio T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA), o irlandês estará no palco de um dos maiores triunfos conquistados em sua carreira – isso porque foi lá que ele derrotou Nate Diaz na revanche disputada em agosto de 2016. Desta vez, no entanto, a pressão e a atmosfera podem até ser parecidas, mas as regras serão diferentes.

“Nada de cotoveladas, nada de joelhadas”, riu Kavanagh quando perguntado sobre as diferenças na preparação para a primeira luta profissional de boxe. “Estou brincando. Como você sabe, quando você está treinando artes marciais mistas, você tem que treinar o jiu-jitsu brasileiro, o wrestling e o muay thai. Então, este [camp] foi divertido de fazer, [focamos] apenas em uma arte marcial”.

“É só com as mãos, então conseguimos disponibilizar muito mais tempo em apenas uma arte marcial, o que foi praticamente um luxo. Porque, obviamente, Conor é um pugilista muito bom. Se você assistir suas lutas de MMA, ele ganha muitas lutas com técnicas de boxe, mas é claro que devemos trabalhar nossa defesa de queda e jiu-jitsu. Então, foi divertido treinar apenas uma arte marcial”, completou.

Para se destacar nessa modalidade em apenas um período de tempo limitado, o treinamento de McGregor contou com a presença de especialistas da arte nobre.

“Eu assisti a um sparring dele com um campeão do mundo e fiquei muito feliz com a forma como isso aconteceu”, disse Kavanagh. “Isso me confirmou que ele fará tudo certo no próximo dia 26 de agosto”.

Esta declaração provavelmente se refere a Paulie Malignaggi. E enquanto o ex-campeão da IBF (Federação Internacional de Boxe) e WBA (Associação Mundial de Boxe) disputou alguns bons rounds com McGregor, ao menos de acordo com Kavanagh, a relação entre eles chegou ao fim após a divulgação de uma foto do treinamento que sugeria que o irlandês havia derrubado o americano.

Naturalmente, o pugilista não gostou da forma como foi retratado na fotografia e imediatamente saiu do camp, iniciando uma disputa pública onde ele afirmava que a queda aconteceu em decorrência de um empurrão, em não de um knockdown. Independentemente do que realmente foi responsável por deixar o pugilista no chão, a situação explodiu nas redes sociais e na TV. E John Kavanagh não entende de onde todo esse caos está vindo.

“Se você seguir o Conor em tudo, às vésperas de uma luta, [você] fará parte da euforia nas redes sociais”, disse o treinador. “Se você assina o acordo para ser parte da equipe, você vai estar nas mídias sociais, só isso… O combate mudou nos últimos anos, e Conor tem sido um dos grandes fatores para essa mudança através de segmentos como o Instagram, o Snapchat e todas essas coisas de mídia social. Essas mudanças ainda são bastante novas e acho que os lutadores do MMA podem estar um pouco mais acostumados com isso do que os lutadores de boxe”, disse o treinadro.

“Mas sim, eu não vi grande coisa em uma fotografia sair. Eu digo que realmente não segui o que Paulie tem feito depois. Acabei de seguir o que aconteceu no ringue e fiquei muito feliz com Paulie. Pensei que ele era um ótimo parceiro de sparring, gostei da breve parceria que tivemos com ele e estou muito grato por ele ter concordado em fazer parte disso, porque conseguimos muitos bons rounds com ele e isso me confirmou que muitas das estratégias e técnicas que vamos usar serão transmitidas e funcionarão bem no ringue do boxe”.

Apesar de não contar com o renomado boxeador como parte do camp desde então, Kavanagh está confiante de que McGregor está preparado para o Mayweather. E isso mesmo sem terem aceitado a “oferta muito generosa” que Vasyl Lomachenko, campeão da WBO (Organização Mundial de Boxe), recentemente ofereceu para ajudar McGregor durante o camp. O ucraniano se disponibilizou para substituir Malignaggi, mas, enquanto o treinador fez questão de deixar claro que seria “uma grande honra” trabalhar com ele no futuro, ele explicitou também que trazer um novo parceiro a apenas duas semanas da luta não faria muito sentido.

Kavanagh, no entanto, encontra consolo ao acreditar que, embora seja difícil achar parceiros de treinamento para uma luta contra Floyd Mayweather, o próprio americano terá missão muito mais complicada para encontrar atletas que possam imitar o estilo do novato do boxe que ele enfrentará no dia 26 de agosto.

“Claro, você nunca vai conseguir alguém que reproduz perfeitamente, e Mayweather obviamente é muito bom no que ele faz”, disse Kavanagh. “Mas, ainda assim, acharia muito mais fácil encontrar alguém para imitar o Mayweather do que [é para] Mayweather encontrar alguém para imitar o que Conor vai fazer. Ninguém sabe o que Conor vai fazer, nós somos realmente os únicos que viram o que ele vai fazer na luta. E quem ele trouxe para ser seu parceiro de sparring, não será o mesmo que ele vai entrar na noite de luta, então será interessante ver como isso se desenrola”, encerrou.