Treinador do Athletico-PR entende que equipe 'cumpriu obrigação' com vitória na Sul-Americana

Futebol Latino
·3 minuto de leitura


Depois do 1 a o feito contra a equipe do Metropolitanos-VEN pela segunda rodada da Copa Sul-Americana, o técnico português António Oliveira foi taxativo para dizer que o Athletico-PR "cumpriu com sua obrigação" ao acumular os seis primeiros pontos no torneio.

>Como ficou a tabela atualizada da Copa Sul-Americana

Entretanto, o treinador lusitano não deixou de reconhecer o contexto de dificuldade que a partida apresentou com as linhas de marcação dos venezuelanos bastante retraídas e com poucas brechas de recomposição:

- Todos os pontos são muito importantes em uma competição tão curta, são seis jogos onde um pequeno deslize poderá ser fatal. Portanto, mais uma vez, cumprimos com a nossa obrigação, conquistamos os três pontos e, mais uma vez, sem sofrer gols, o que nos agrada muito. Temos um volume ofensivo muito grande. É evidente que não é fácil jogar contra uma equipe muito fechada, que tem uma densidade de jogadores muito grande no corredor central, o que nos originou e provocou jogarmos muito por fora além de também chutarmos de média distância. Ficam os três pontos, a entrega, sobriedade e um espírito de sacrifício dos jogadores muito grande e eles, mais uma vez, são os grandes merecedores dessa vitória.

Para António, o fato de ter jogado com dois times mais defensivos do que ofensivos ficou mais claro no confronto dessa semana do que na vitória também por 1 a 0 sobre o Aucas-EQU. Algo que, em sua visão, está diretamente relacionado ao desempenho recente no número de gols dos equatorianos:

- Sentimos muito mais na Arena do que no Equador. No Equador jogamos com uma equipe que é dos melhores ataques no país, tem uma grande expectativa de gol e o nosso sistema defensivo foi muito eficaz nesse jogo. Hoje enfrentamos uma equipe que veio única e exclusivamente para não sofrer gols e tentar um pontinho. Não é fácil passar por defesas como essas, era a ideia não reter muito a bola e tentar os movimentos para abrir os espaços. Os espaços que o adversário ofereceu quase sempre nós conquistamos, mas foi sempre muito através do jogo pelos lados, chutes de média distância e o gol acabou surgindo em uma situação de largura onde o Khellven fez um cruzamento onde os jogadores seguiram à risca a informação que lhes foi dada. Que as pessoas não se enganem pois, no futebol moderno, não existem jogos fáceis. Todos os méritos são conquistados.

Como o Athletico usa a equipe de Aspirantes no estadual, a próxima vez que António Oliveira estará no banco de reservas será no terceiro jogo da fase de grupos visitando em Lima a equipe do Melgar. Partida essa que, segundo o técnico, terá um grau de seriedade igual as duas primeiras:

- Esperamos mais um jogo difícil onde teremos as mesmas responsabilidades de nos preparar. Vamos entender os perigos que o adversário nos oferece e que espaços que eles se sentem mais confortáveis para aniquilarmos esses espaços. Vamos analisar para delinear para saber qual vai ser a estratégia e o plano de jogo. Do ponto de vista histórico, o Athletico tem a obrigatoriedade, em qualquer situação, de lutar pelos três pontos.