'Trabalho bem feito': Moleques de Xerém se firmam e exaltam base do Flu

João Mércio Gomes

A força que o Fluminense tem nas divisões de base, não é novidade. Reconhecida nacional e internacionalmente, nela foram revelados atletas como Marcelo e Gerson. Hoje, dos 34 atletas do elenco principal, 18 passaram por Xerém e quatro são titulares absolutos: Léo, Douglas, Scarpa e Wellington Silva.

No último domingo, contra o Boavista, o técnico Abel Braga poupou titulares e deu chances aos jovens do elenco. Seis “moleques de Xerém” começaram jogando e deram conta do recado. Para o zagueiro Nogueira, a entrada dos garotos ao mesmo tempo facilita para adaptação.

– Muito bom ver uma equipe assim. Molecada boa. Muitos já se conhecem desde a base, a maioria. A gente fica mais à vontade para se cobrar, se falar. Cada um sabe a característica do outro, então fica mais fácil – disse o atleta de 21 anos, ao LANCE!.

Um dos destaques de Xerém no ano é Marquinhos Calazans. Atacante de origem, o canhoto de 20 anos impressionou Abel nos treinos e ganhou chances como lateral-esquerdo. Nos quatro jogos que disputou, agradou. O rápido sucesso surpreendeu o próprio camisa 30 tricolor.

– Não esperava que acontecesse tão rapidamente. Fico feliz porque ganhei com jogadores que sempre atuaram comigo. Eles me ajudaram muito, não só eles, mas outros que foram vendidos, como Kenedy e Gerson. O trabalho de Xerém está sendo bem feito – destacou, ao L!.

O treinador, que revelou grandes jogadores como o próprio Marcelo, no Flu, e Alexandre Pato, no Inter, vê a nova safra com bons olhos.

– A garotada está dando orgulho. Você vê os mais novos, Wendel, Calazans, Nogueira. Estou satisfeito.











E MAIS: