Três surfistas brasileiros avançam para o Round três em Margaret River

Os jovens Caio Ibelli, Ian Gouveia e Jessé Mendes venceram suas baterias; seis brasileiros disputam a primeira repescagem da etapa na noite desta quarta

O primeiro dia de Margaret River apresentou uma onda nova para abrir o segundo desafio do Circuito Mundial. Pela primeira vez, uma etapa válida pelo título mundial foi disputada nas direitas de North Point e três jovens brasileiros estrearam com vitórias, derrotando os cabeças de chave das suas baterias.

O novato na elite do WCT, Ian Gouveia, bateu o líder do ranking e campeão de Gold Coast, Owen Wright (AUS). O convidado e líder do WQS, Jessé Mendes, ganhou o confronto verde-amarelo com Gabriel Medina e Wiggolly Dantas. E o melhor estreante do ano, em 2016, Caio Ibelli, superou o australiano Joel Parkinson na onda surfada no último minuto. Mas, os seis brasileiros derrotados disputam a repescagem para seguirem vivos na competição. A primeira chamada será às 20h (horário de Brasília).

O pernambucano Ian Gouveia surfou um dos três melhores tubos do dia nas difíceis condições do mar, com longos intervalos entre as séries e poucas ondas boas entrando nas baterias. A nota 8,0 que garantiu a vitória do filho de Fábio Gouveia sobre os australianos Connor O´Leary e Owen Wright.

- Essa bateria foi realmente um sonho para mim. Minha coisa favorita no surfe é pegar tubos de backside (de costas para a onda), então ter North Point só com outros dois caras na água é fantástico. Todos os brasileiros no circuito apoiam uns aos outros e quando eu vi o Jessé (Mendes) ganhar a bateria dele, fiquei muito empolgado e só queria ir lá fora surfar alguns tubos. Ainda bem que consegui e foi incrível vencer o Owen (Wright) aqui - disse Ian Gouveia.

O francês Jeremy Flores, conquistou um 8,10 para derrotar o campeão mundial Adriano de Souza e o australiano Adrian Buchan. O defensor do título da etapa, o havaiano Sebastian Zietz achou um tubo incrível que arrancou nota 10 unânime dos cinco juízes no confronto que fechou a primeira fase, contra o brasileiro Filipe Toledo e o australiano Ethan Ewing.

O paulista Caio Ibelli só conseguiu surfar sua segunda onda no minuto final da bateria. Mas, a nota 2,83 recebida pelas duas manobras que fez, acabou sendo suficiente para tirar o primeiro lugar do experiente Joel Parkinson (AUS). Com ela somada ao 6,33 da sua primeira onda, Caio superou o australiano por 9,16 a 8,70 pontos e o potiguar Jadson André ficou em último nessa bateria, com apenas 4,80 nas duas notas computadas.

Jessé surpreende e vence bateria verde e amarela

Já a primeira classificação brasileira foi conquistada no confronto 100% verde-amarelo encabeçado pelo campeão mundial Gabriel Medina. Foi mais uma bateria fraca de ondas, mas o convidado da Liga Mundial de Surfe (WSL) para esta etapa, Jessé Mendes, ficou mais ativo buscando os tubos até encontrar um que valeu 7,40 e confirmou a vitória em sua estreia em etapas da divisão de elite.

Medina chegou a arriscar os aéreos para tentar vencer, porém sem completar as aterrizagens. Wiggolly Dantas só conseguiu fazer manobras na onda que pegou nos segundos finais. Jessé então passou direto para a terceira fase com 11,07 pontos, contra 7,26 de Medina e 5,30 do Wiggolly.

- Eu sabia que ia ser uma bateria difícil. Minha bateria realmente teve um monte de ondas e eu estava no lugar certo para pegar os tubos. Eu tinha surfado aqui a manhã toda, então eu meio que sabia onde sentar e procurei manter minha estratégia, que deu certo. Foi impressionante competir aqui nesse lugar e agradeço a Deus por ter me abençoado. O dia está bonito, as ondas estão bombando e é isso que a gente quer - falou Jessé Mendes.

A maioria das baterias foi encerrada com placares muito baixos, mostrando a dificuldade que os melhores surfistas do mundo encontraram para competir em North Point, pois muitos nunca tinham surfado essa onda na costa ocidental da Austrália. Além disso, as condições não eram a que todos esperavam, com as séries demorando bastante para entrar na bancada e os tubos fechando rapidamente. O tempo das baterias foi aumentado para 35 minutos, porém ainda assim, poucas ondas boas entravam para dividir entre três competidores.

Confira os resultados do primeiro Round e os confrontos da repescagem:

1: Kelly Slater (EUA) 8.07 x Mick Fanning (AUS) 6.67 x 1.00 Leo Fioravanti (ITA)
2: Kolohe Andino (EUA) 8.77 x Stuart Kennedy (AUS) 1.20 x Ezekiel Lau (HAV) 7.00
3: Matt Wilkinson (AUS) 3.10 x Miguel Pupo (BRA) 3.17 x Jack Freestone (AUS) 6.77
4: Jordy Smith (AFS) 13.76 x Kanoa Igarashi (EUA) 1.77 x Nat Young (EUA) 12.00
5: Gabriel Medina (BRA) 7.26 x Wiggolly Dantas (BRA) 2.54 x Jessé Mendes (BRA) 11.07
6: John John Florence (HAV) 13.67 x Frederico Morais (POR) 3.40 x Jacob Willcox (AUS) 4.40
7: Owen Wright (AUS) 8.70 x Connor O'Leary (AUS) 12.40 x Ian Gouveia (BRA) 12.50
8: Joel Parkinson (AUS) 8.70 x Caio Ibelli (BRA) 9.16 x Jadson André (BRA) 4.80
9: Adriano de Souza (BRA) 10.50 x Adrian Buchan (AUS) 6.24 x Jeremy Flores (FRA) 12.60
10: Michel Bourez (TAI) 10.40 x Conner Coffin (AUS) 2.56 x Joan Duru (FRA) 4.50
11: Julian Wilson (AUS) 4.90 x Josh Kerr (AUS) 0.00 x Bede Durbidge (AUS) 3.33
12: Filipe Toledo (BRA) 1.77 x Sebastian Zietz (HAV) 14.83 x Ethan Ewing (AUS) 5.17

Round 2

1: Gabriel Medina (BRA) x Jacob Willcox (AUS)
2: Matt Wilkinson (AUS) x Nat Young (EUA)
3: Owen Wright (AUS) x Ezekiel Lau (HAV)
4: Joel Parkinson (AUS) x Leonardo Fioravanti (ITA)
5: Adriano de Souza (BRA) x Jadson André (BRA)
6: Filipe Toledo (BRA) x Joan Duru (FRA)
7: Josh Kerr (AUS) x Bede Durbidge (AUS)
8: Conner Coffin (EUA) x Ethan Ewing (AUS)
9: Adrian Buchan (AUS) x Frederico Morais (PRT)
10: Connor O´Leary (AUS) x Wiggolly Dantas (BRA)
11: Mick Fanning (AUS) x Kanoa Igarashi (EUA)
12: Stuart Kennedy (AUS) x Miguel Pupo (BRA)


















































E MAIS: