Torneio organizado por Djokovic em Belgrado alegra fãs do tênis

Por Jovan MATIC
AFP

Após três meses parados devido à pandemia de coronavírus, alguns dos melhores tenistas do mundo voltaram às quadras e se encontraram com um público entusiasmado em Belgrado, no torneio de solidariedade organizado por Novak Djokovic.

A felicidade na reunião dominou o fim de semana no Novak Djokovic Tennis Center, na capital sérvia, onde foi disputada a primeira etapa do 'Adria Tour', vencida pelo austríaco Dominic Thiem, que derrotou na final Filip Krajinovic (N.32), que havia eliminado nas semifinais o grande ídolo do país.

Depois de vários meses sem torneios, o tênis recuperou seus momentos de brilho, apesar de os tenistas mostrarem uma evidente falta de ritmo de competição. Mas a vontade de jogar estava presente, para o deleite do público.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

- Anfitrião modelo -

Djokovic, onipresente ao longo de todo o fim de semana, fez o papel de anfitrião modelo, servindo como guia turístico de sua cidade para seus companheiros de circuito Dominic Thiem (N.3), Alexander Zverev (N.7) e Grigor Dimitrov ( N.19).

Ele os levou para conhecerem o bairro boêmio de Skadarlija e outros lugares emblemáticos da capital sérvia.

Eliminado nas semifinais por Krajinovic, Djokovic pegou o microfone para se dirigir ao público, com lágrimas de emoção: "Não estou chorando por não ter chegado à final, mas porque lembro da minha infância", explicou, agradecendo o apoio aos tenistas demonstrado pelos espectadores, que responderam com uma ovação de pé.

O único porém da festa foi que, no sábado, os organizadores anunciaram que tiveram que desistir da etapa marcada em Montenegro nos dias 27 e 28 de junho, como resultado das rigorosas condições sanitárias impostas pelos governantes montenegrinos.

Depois de Belgrado, o 'Adria Tour' viajará para Zadar, na costa croata do Adriático, nos dias 20 e 21 de junho, onde dois tenistas daquele país participarão da competição: Marin Cilic (37º), campeão do US Open de 2014 e Borna Coric (33º).

Com a etapa montenegrina cancelada, o torneio terminará na Bósnia nos dias 3 e 4 de julho, em Banja Luka (noroeste) e terminará com uma partida de exibição em Sarajevo entre o número 1 da Bósnia Damir Dzumhur (N.107) e Novak Djokovic.

Todos os jogos serão disputados, como em Belgrado, no saibro, melhor de três sets de quatro jogos cada.

- Perto dos astros -

Desde sexta-feira, fãs de todas as idades vieram ao local para se aproximar dos astros.

Os tenistas se mostraram encantados e próximos, tirando selfies e confraternizando com um grupo de crianças que estão começando a praticar o esporte.

O público também pôde ver Thiem treinar com Zverev, além de acompanhar uma série de partidas de exibição.

A sérvia Jelena Jankovic, ex-número 1 do mundo, participou da festa. Ela saiu de sua aposentadoria, depois de mais de dois anos sem jogar, para disputar, aclamada pelo público, uma dupla mista com 'Djoko'.

- Capital mundial do tênis -

A imensa popularidade de Djokovic em seu país, mas também o fato de os circuitos ATP e WTA estarem interrompidos desde março e pelo menos até o início de agosto, fizeram do 'Adria Tour' o principal evento do tênis deste momento peculiar.

A organização vendeu 2.000 lugares para o público em poucos minutos e reservou o mesmo número de ingressos para os patrocinadores.

"É fantástico, estamos na capital mundial do tênis neste fim de semana", entusiasma-se Dusan Bogicevic, de 25 anos, estudante de direito em Belgrado.

Os espectadores não pareciam preocupados com as medidas de precaução sanitária estabelecidas pelos organizadores. Cada um deles recebeu uma máscara na entrada da quadra, mas poucos a usaram na parte interna.

Reagindo às críticas à violação do distanciamento social, Djokovic observou que a região teve "um grande sucesso" na luta contra a pandemia, com 24.000 infectados e menos de 800 mortos para uma população total de 22 milhões de pessoas e que as ordens "do governo sérvio" foram respeitadas.

Leia também