Torcidas organizadas do Santos fazem homenagem a Pele na Vila; mais de 150 mil pessoas já foram ao velório

Torcedores do Santos homenagearam Pelé com festa no gramado da Vila (Foto: Gabriel Teles/LANCE!)


Os membros de torcidas organizadas do Santos fizeram uma homenagem a Pelé, no velório do Rei do Futebol, na madrugada desta terça-feira. Com bandeiras, sinalizadores e músicas exaltando o ídolo do Peixe, eles fizeram uma bonita festa no gramado da Vila Belmiro.

+ 'Pelé é imortal, estará sempre conosco', diz presidente do Santos

Perto das 4h, as organizadas chegaram ao estádio do Peixe para o último adeus a Pelé. No gramado da Vila, perto do caixão, os torcedores começaram a reverência ao Rei, em uma festa com clima de arquibancada.

Os cânticos dos santistas exaltando Pelé lembravam que só o Rei tem mil gols e que o maior jogador de todos os tempos já parou uma guerra atuando pelo clube. Eles também cantaram o hino do Peixe. O encerramento foi com uma salva de palmas.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Mais de 150 mil presentes

A polícia militar informou que mais de 150 mil pessoas já passaram pela Vila Belmiro para o último adeus a Pele. O velório do Rei do Futebol começou às 10h da última segunda-feira e vai durar 24h.

Durante o dia, autoridades, jogadores, ex-companheiros de Santos, amigos e familiares foram se despedir de Pelé. No início desta madrugada, nomes como os cantores Supla e Mano Brown, além do ex-jogador e apresentador Neto foram à Vila.

Mesmo durante a madrugada, a espera na fila para o adeus ao Rei durava cerca de três horas. Por alguns minutos, a entrada de pessoas no estádio foi interrompida para a manutenção no local do caixão, mas logo foi permitida novamente.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Pelé foi internado dia 29 de novembro para reavaliar a quimioterapia para tratar um câncer no cólon. Contudo, o ex-jogador teve uma piora no quadro e passou um mês no Hospital Israelita Albert Einstein até morrer, na última quinta-feira, aos 82 anos.