Torcida do Uruguai provoca Brasil em música da Copa: 'Não sou brasileiro porque não vivo só de títulos'

Torcida do Uruguai divulga música polêmica para a Copa do Qatar (Foto: ODD ANDERSEN / AFP)


Apesar de manter uma boa relação com vizinhos sul-americanos fora de campo, dentro das quatro linhas o Uruguai encara uma rivalidade histórica com Argentina e Brasil, por exemplo. Esse retrospecto foi o suficiente para que a torcida celeste criasse um canto de provocação contra os "irmãos" de continente para a Copa do Qatar.

> Veja imagens de como foi a Cerimônia de Abertura da Copa do Mundo de 2022

O músico Marcos "Pino" Arocena lançou recentemente uma música chamada "Los tres millones que no te querés cruzar", que pode ser traduzida para "Os três milhões que você não quer cruzar". A canção que viralizou entre os torcedores não só repassa a história da Celeste, mas também provoca Brasil, Argentina e Chile.

A letra faz referência aos títulos de Copa América de 1987 e 2011 sobre a equipe argentina, além do "Maracanaço" diante do Brasil na Copa do Mundo de 1950 que, segundo os uruguaios, mudou as cores da camisa da Seleção Brasileira do azul e branco para o amarelo.

> Clique e confira a tabela completa e simulador da Copa do Mundo!

Na Argentina, a música não foi bem vista pela população, segundo a imprensa local. Já no Brasil, talvez nem tenha sido conhecida até o presente momento, fazendo com que todos estejam focados única e exclusivamente na busca pelo Hexacampeonato da Amarelinha.

Confira a letra completa (e traduzida) da música provocativa da torcida uruguaia:

"Não sou argentino porque não sou metido, não sou brasileiro porque não vivo só de títulos. Fazemos parte do Uruguai, os três milhões que você não quer cruzar.

Da Argentina já ganhamos várias vezes. Como visitantes, na sua Copa, com sua gente. Estava Messi, estava Diego Maradona e a Celeste em Buenos Aires saiu campeã.

O que mais vamos dizer aos amigos brasileiros? Que até empatando em casa eram primeiros. Imaginem que traumatizados os deixamos, que até as cores da camisa os fizemos trocar.

E se seguimos com os países vizinhos, aqui vai um "olá" para os mais fracassados. Até que saibam qual é o peso da taça do mundo, se for chileno não pode falar de futebol."