Torcida e superação na Liberta são trunfos para ‘virada’ do Palmeiras

O Palmeiras terá uma tarefa complicadíssima neste sábado, quando tentará reverter a vantagem de 3 a 0 da Ponte Preta, equipe que o Verdão não triunfa desde 2015e avançar à final do Campeonato Paulista. Apesar da dificuldade, a torcida alviverde está confiante na classificação e tem passado segurança aos atletas.

“Na segunda e terça-feira (dias em que o elenco esteve de folga) saí de casa, e vários torcedores demostraram seu apoio e confiança de que o time pode reverter. Isso nos dá um combustível ainda maior para representá-los da melhor forma, jogando o máximo pelo nosso objetivo”, disse o zagueiro Edu Dracena.

Para a partida no Palestra Itália, às 19h (de Brasília), 30 mil ingressos já foram vendidos, e a torcida palmeirense criou no Twitter uma campanha com a hashtag #AtéoApitoFinalPalmeiras, pedindo que os jogadores não desistam do resultado. Imediatamente, Fernando Prass, Moisés, Vitor Hugo e Dudu aderiram à campanha.

#AteOApitoFinalPalmeiras https://t.co/jLWSxAgN7q pic.twitter.com/lXtn3APh44

— Fernando Prass (@Fernando_Prass) 18 de abril de 2017


#AteOApitoFinalPalmeiras

— Moises Lima (@MoisesLima10) 18 de abril de 2017



#AteOApitoFinalPalmeiras!! 💪🐷7️⃣

Uma publicação compartilhada por Eduardo Pereira Rodrigues (@7_dudu) em Abr 18, 2017 às 11:33 PDT






#AtéoapitofinalPalmeiras

Uma publicação compartilhada por Vitor Hugo (@vh.oficial) em Abr 18, 2017 às 3:58 PDT




Nesta temporada, o Palmeiras já mostrou poder de reação em dois jogos decisivos. Pela Copa Libertadores, o Verdão venceu o Jorge Wilstermann e o Peñarol, ambos no Palestra Itália, com gols decisivos saindo aos 50 e 54 minutos, respectivamente.

“Para fazer o terceiro gol, precisa sair o primeiro. A receita é ganhar, independente se é no início ou fim. Vamos entrar focados, concentrados para decidir até no último minuto, se for preciso, como aconteceu na Libertadores. Por isso o torcedor ficou até o fim cantando o hino nesses jogos. Temos de exaltar que a torcida faz uma diferença muito grande. É entrar focado contra a Ponte Preta, concentrado desde o início, algo que faltou um pouco para nós em Campinas. O time não vai ter 11 guerreiros, mas 23 em campo, fora os milhões de palmeirenses torcendo pelo nosso objetivo”, completou o camisa 3.

O jogo do último domingo, porém, não está e nem ficará apagado da memória dos jogadores do Verdão. Para Dracena, a partida servirá como lição para o restante da temporada, justamente pela desatenção da equipe, que perdia a partida por 2 a 0 antes dos oito minutos do primeiro tempo.

“Não sei o que aconteceu ainda. Não consigo responder por que entramos daquela forma. Vendo pela televisão, poderíamos ter feito uma coisa ou outra, mas assim é fácil. Não tem de apagar o jogo, tem que ficar na nossa cabeça para vermos como não devemos entrar em um jogo decisivo como contra a Ponte. Precisamos entrar totalmente diferente, focados, concentrados até o apito final. Não pode entrar e em 30 minutos de jogo tomando 3 a 0. Que sirva de lição para não acontecer daqui para frente”, afirmou o zagueiro.

Leia mais:

Dracena mostra confiança em virada: “O torcedor sairá do Palestra feliz”

Dois anos após empurrão em árbitro, Dudu não leva cartões no Paulistão

Palmeiras se reapresenta e faz longo treino fechado para a imprensa

No sábado, o Verdão encara a Ponte Preta, às 19h (de Brasília), no Estádio Palestra Itália, pelo jogo de volta da semifinal do Campeonato Paulista. Após perder o primeiro jogo por 3 a 0, em Campinas, o Alviverde precisa de uma goleada por quatro gols de diferença para avançar, ou um triunfo por três tentos de vantagem para levar a decisão para os pênaltis.

Confira belas imagens do Estádio Palestra Itália!