Torcida só de mulheres e crianças emociona treinador do Coritiba

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Foi só com mulheres e crianças nas arquibancadas que o Coritiba fez sua estreia no Campeonato Paranaense. Punido pelo TJD-PR (Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná), o clube não pôde contar com sua torcida habitual na partida contra o Aruko, no Couto Pereira.

Por brigas registradas em clássico contra o Athletico no ano passado, o Coritiba chegou a ser punido com a perda de um mando de campo. Recorreu e teve a pena revertida em ação disciplinar. Assim, mulheres e crianças foram liberadas, e as entradas foram pagas com doação de alimentos.

De acordo com a súmula, 8.871 mil pessoas foram ao estádio nessa situação. Fizeram barulho, especialmente no anel central do estádio, tomado, e deixaram satisfeito o técnico António Oliveira -feliz também pelo suado triunfo por 1 a 0.

"Nunca tinha presenciado tal situação. É a imposição de um gênero, fiquei emocionado. Hoje, sem dúvida nenhuma, foi o estádio mais bonito do mundo. O apoio delas foi fundamental para vitória", declarou o comandante.