Torcida do Fluminense vai da depressão ao delírio com sensação de 16 anos

Goal.com
Depois de "cornetar" a exibição de Felippe Cardoso no primeiro tempo, os tricolores presentes no Maracanã viram um golaço de Miguel
Depois de "cornetar" a exibição de Felippe Cardoso no primeiro tempo, os tricolores presentes no Maracanã viram um golaço de Miguel

O Fluminense bateu a Portuguesa-RJ, nesta quinta-feira (23), e manteve o 100% nestes dois primeiros jogos no Campeonato Carioca.

A equipe treinada por Odair Hellmann contou com gols de Nenê, convertendo pênalti, e Gilberto para triunfar dentro de um Maracanã com pouco mais de dez mil torcedores. As redes balançaram apenas no segundo tempo.

Isso porque na primeira etapa tanto o torcedor presente ao Maracanã, quanto o que acompanhava de mais longe, teve motivos para reclamar do atacante Felippe Cardoso, uma das novidades do Tricolor Carioca para 2020.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O jogador, que pertence ao Santos, apareceu pouco na primeira etapa e os tricolores, que sonham com o retorno do ídolo Fred, não perdoaram.

Substituição e golaço

Odair Hellmann não demorou para fazer alterações no time, e o Fluminense voltou do intervalo com Miguel, meia-atacante de 16 anos revelado na base do clube, no lugar de Felippe Cardoso.

A equipe das Laranjeiras melhorou e abriu o placar com Nenê convertendo pênalti, mas o lance que ficou marcado foi protagonizado justamente por Miguel: depois e entortar a defesa da Portuguesa, o jovem deixou o lateral Gilberto com todas as condições do mundo para carimbar de vez a vitória.

E a torcida que reclamou de um jogador passou a exaltar o jovem que decidiu o duelo.

Leia também