Torcedores sauditas "em choque" após a vitória de sua seleção sobre a Argentina

"Em choque". Os torcedores de Arábia Saudita, presentes em grande número e muito barulhentos no estádio Lusail de Doha, foram surpreendidos da melhor forma possível pelos 'Falcões Verdes' que venceram nesta terça-feira a Argentina (2-1) na estreia na Copa do Mundo.

"É inacreditável! Este resultado vem de outro lugar", disse Mohammad Al Muhim, um torcedor de 26 anos que chegou da Arábia Saudita na segunda-feira.

"Assisti Inglaterra-Irã na segunda-feira (vitória inglesa por 6 a 2). Tive medo da mesma coisa. Você precisa lembrar: é um dos melhores times do mundo contra nós", continuou Al Muhim em meio às lágrimas de emoção.

"Não acredito", exclamou o compatriota Najjeb Zuhair, de 19 anos, também no estádio com vários milhares de torcedores da seleção do Golfo, no maior estádio do torneio (80 mil lugares).

"Sinceramente, viemos aqui para nos divertir com os torcedores argentinos e quando Messi marcou ficamos desapontados, mas não surpresos. Quando os sauditas empataram, ficamos em choque e quando eles marcaram o segundo gol, não acreditamos", disse Zuhair antes de destacar o "magnífico trabalho dos jogadores e treinadores".

A pressão estava necessariamente do lado argentino, segundo Omar da Fonseca, ex-jogador argentino e comentador agora na França para a rede BeIn Sports, "frustrado mas não muito surpreendido" com a derrota da 'Albiceleste'.

"Há muito tempo venho dizendo que muitos de nossos jogadores não jogam nos maiores clubes da Europa. Do ponto de vista individual, estamos longe das seleções que a Argentina conheceu em sua história", disse Omar da Fonseca.

Cercado por milhares de torcedores argentinos presentes em Doha, ele apontou as fragilidades físicas de seus jogadores preferidos como a causa da derrota.

"Fisicamente, alguns foram superados ou voltaram de lesões. Temos a mentalidade, o desejo, mas o corpo não aguenta mais. Romero, Di María, Messi já têm uma certa idade", apontou ele.

"Os sauditas com sua disciplina, sua dedicação, mostraram que podem superar a criatividade", concluiu.

bnl-ep/rsc/psr/aam