Torcedores ingleses não poderão entrar em estádios com fantasias de guerreiros das Cruzadas

Torcedores ingleses em pub no Catar

DOHA (Reuters) - Os torcedores da Inglaterra serão impedidos de participar da partida desta sexta-feira no Catar contra os Estados Unidos e de jogos futuros da Copa do Mundo se usarem réplicas de trajes de guerreiros das Cruzadas, considerados culturalmente insensíveis em um país muçulmano, disse a Fifa.

Alguns torcedores ingleses costumam usar armaduras, capacetes de plástico e armas de brinquedo como fantasias para os jogos há anos.

Mas as imagens de alguns torcedores vestidos como guerreiros das Cruzadas na vitória de 6 x 2 sobre o Irã na segunda-feira na capital do Catar, Doha, foram criticadas online, levando o órgão mundial do futebol a proibir as fantasias.

"Esses trajes em um contexto árabe ou do Oriente Médio podem ser vistos como ofensivos, por isso não são permitidos nos estádios", disse um porta-voz da Fifa.

Para muitos árabes, a palavra "cruzadas" evoca uma história dolorosa de invasão violenta por cristãos que buscavam capturar Jerusalém e áreas próximas sob domínio islâmico nos séculos 11 a 13.

Questões em torno de cultura e direitos estão em foco quase tanto quanto o futebol na Copa do Mundo no Catar.

Alguns torcedores do País de Gales foram obrigados a remover os bonés com as cores do arco-íris da comunidade LGBT na primeira partida de seu time no torneio contra os Estados Unidos no início desta semana.

As relações entre pessoas do mesmo sexo são ilegais no Catar.

Autoridades do futebol galês disseram na quinta-feira que a Fifa confirmou que torcedores com bonés e bandeiras com as cores do arco-íris teriam permissão para entrar no estádio para a partida do País de Gales contra o Irã na sexta-feira, que o País de Gales perdeu por 2 x 0.