Torcedor símbolo do Santos cogita incluir coroa de Pelé em tatuagem famosa


Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Se você perguntar quem é Alberto Francisco de Oliveira nos arredores da Vila Belmiro, certamente ninguém saberá quem é, mas é só falar em Alemão que todo mundo conhecerá. Torcedor símbolo do Santos, o senhor de 63 anos é mundialmente conhecido por levar o escudo do seu time de coração na testa, em uma tatuagem que pode ganhar nova versão. É que a partir de janeiro, o símbolo do Peixe terá a inclusão de uma coroa, em homenagem ao Rei Pelé, que faleceu na última quinta-feira (29), em decorrência de falência múltipla de órgãos. O Atleta do Século já lutava há, pelo menos, dois anos contra um câncer no cólon.

Em contato exclusivo com a reportagem do LANCE!, no bar em que Alemão possui, na frente da Vila Belmiro, o torcedor icônico do Peixe disse que está estudando a possibilidade de incluir o elemento em reverência ao Rei na tatuagem que possui na região da cabeça.

+ “Imortal”, “O 10 perfeito”, “Vida longa ao Rei”: as capas de jornais pelo mundo em homenagem a Pelé

Alemão - Santos FC
Alemão - Santos FC

Símbolo do Santos tatuado na testa é marca registrada de Alemão (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

- Se eu conseguir (fará a tatuagem)... vou tentar. Já andei visualizando como seria com a coroa. Tentarei colocá-la - disse Alemão.

O Bar do Alemão sempre foi um point de ex-jogadores. Companheiros de Pelé, como Coutinho, o grande parceiro do Rei, que faleceu em 2019, costumavam passar os dias no estabelecimento, jogando carteado com amigos do bairro. A relação com os ídolos eternos fez com que Alemão ficasse próximo da família do Atleta do Século e acompanhasse a piora do quadro de saúde do maior jogador de todos os tempos. Mesmo já temendo pelo pior, o torcedor símbolo revelou o baque sofrido com a confirmação da notícia, na tarde da última quinta-feira (29).

- Eu estava acompanhando mais de perto, porque conheço a família. Pensei que anunciaria (o falecimento) na terça-feira ou quarta-feira. Fiquei muito triste por ter anunciado em uma época festiva que, infelizmente, para muita gente não vai ter mais a alegria de final de ano - revelou Alemão.

APOSENTADORIA DA CAMISA 10

O ícone da torcida santista é defensor da aposentadoria da camisa 10 do clube de coração. O assunto chegou a cer levado pela família do Rei Pelé ao presidente da equipe alvinegra, Andres Rueda. Chegou a ventilar uma suspensão temporária até os associados e conselheiros decidirem, mas após um vídeo de um entrevista dada por Edson Arantes do Nascimento para o canal Desimpedidos, em 2019, em que o ídolo disse que não era favorável a interromper o número do manto do Peixe. o mandatário do Santos mudou de opinião e deu a situação como encerrada, mantendo a utilização do número.

- Vamos brigar pela extinção da camisa 10. Já deveríamos fazer isso desde 1974, mas vamos fazer agora, porque o pessoal está imbuído de fazer agora. Essa homenagem já deveria ter feito quando ele parou de jogar bola. Nunca mais alguém deveria jogar com a camisa 10 - afirmou Alemão.

Pelé defendeu o Santos entre 1956 e 1974. No período, ele fez 1116 jogos e marcou 1091 gols. Foram também 25 títulos conquistados com a camisa alvinegra: 10 Paulistas (1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969, 1973); três torneios Rio-SP (1959, 1963 e 1964); seis Brasileiros (1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968); duas Libertadores (1962 e 1963); uma Supercopa Sul-Americana (1968); dois Mundiais (1962 e 1963) e uma Recopa dos Campeões Intercontinentais (1968).