TopSoccer: Os aspectos tributários influenciaram a decisão de Neymar?

Header TopSoccer

Por José Vinícius Bicalho Costa Jr. (Advogado e Sócio da TopSoccer)

A partir desta terça-feira, a TopSoccer, empresa prestadora de assessoria financeira e jurídica para atletas, terá sua coluna na Goal. Neste espaço, traremos análises e novidades desse lado pouco conhecido pela maioria dos torcedores.

 

Alguns dias atrás, fui questionado se a caça realizada pelo Fisco espanhol aos jogadores de futebol foi um dos motivos que influenciaram Neymar a trocar o Barcelona pelo PSG. Como não havia pensado nisso - e vislumbrei a possibilidade da resposta ser positiva - resolvi aprofundar-me no assunto.

Neymar PSG unveiling 05082017

Apesar de trabalhar com vários atletas, jamais perdi a minha paixão pelo esporte, encantamento pelos ídolos e a preferência pelas arquibancadas em detrimento aos camarotes.

Contudo, nos dias atuais, em razão do enorme business que se tornou o futebol e as elevadas cifras envolvidas, às vezes a razão e o interesse financeiro sobrepõe os sonhos alimentados por bilhões de torcedores espalhados pelo planeta.

É compreensível que a maior transferência da história do futebol mundial gere muitos questionamentos. Os aspectos tributários são tão relevantes que, antes mesmo da
consumação da transferência, o ministro da francês das Contas Públicas declarou à rádio France Inter estar “encantado com o imposto de renda extra que Neymar pagará na França”. O jornal “Le Figaro” estimou um recolhimento anual de imposto do craque brasileiro na ordem de € 37,5 milhões (R$ 138 milhões).

A França tem a reputação de ser um país com elevados impostos, mas em contrapartida existem muitos benefícios. Os impostos no país são coletados pelo departamento do Trésor Públic e administrado pela direção  Générale des Impôts.  O Imposto de Renda da pessoa física por lá (Impôt sur le Revenu) é um imposto federal, calculado proporcionalmente ao salário.

Kylian Mbappe Neymar Paris Saint-Germain

(Fotos: Getty Images)

Como em todos os países, existe uma série de particularidades para se apurar o valor real do imposto. Na Espanha, a alíquota máxima do imposto de renda, combinada com todos os níveis de governo, é de 48%. Já na França, o imposto para os padrões de remuneração do novo camisa 10 do PSG será de 50,2%. Tais alíquotas são estimativas e podem sofrer sutis alterações, mas nada que mudará o panorama acima exposto. Em síntese, não há grandes diferenças e o que ocorrerá é um ligeiro aumento no imposto a ser recolhido.

Em que pese a enorme divulgação de caça aos jogadores pelo Fisco espanhol, tal situação é um fenômeno mundial. No Brasil são centenas de casos. Pelo fato de os maiores astros do futebol mundial se concentrarem atualmente na Espanha, a repercussão dos problemas tributários no país ibérico sempre tem maior destaque na imprensa.

Portanto, certamente, não foram as questões tributárias que motivaram Neymar a se mudar para Paris. Na verdade são outras ambições que motivaram o nosso craque. Ser o protagonista de seu time? Tornar-se o melhor do mundo? Melhores condições salariais? Morar em Paris?

Não sabemos...

Que Neymar seja feliz na Cidade Luz!

Conheça mais sobre a TopSoccer em www.topsoccer.com.br