Tombense e Porto são investigados por esquema ilegal na transferência de Evanilson, ex-Fluminense

·1 minuto de leitura


Segundo a 'CMTV', Ministério Público de Portugal investiga um suposto esquema ilegal envolvendo o Porto e a Tombense, do Brasil, na compra do atacante brasileiro Evanilson, que atou no Fluminense. A negociação entre portugueses e mineiros foi fechada em setembro de 2020.

Veja a tabela do Português

A 'CMTV' informa que o Ministério Público de Portugal investiga um esquema que pode envolver comissões irregulares com valores de milhões de euros. Além de Evanilson, ex-Fluminense, os jogadores João Marcelo, Wesley e Caíque também deixaram a Tombense para assinar com o Porto B.

Apesar da transferência entre Porto e Tombense ter sido tratada pelo empresário Eduardo Uram, o 'Jornal O Globo' informa que o investigado é um português ligado a empresa Gestifute, responsável por representar o Porto na negociação.

- Todas as operações ligadas ao Tombense estão registradas em todos os sistemas eletrônicos de transferência. Podem investigar se quiserem porque que não tem nada de amormal - falou Eduardo Uram em entrevista ao O GLOBO.

Evanilson deixou a Tombense pelo valor de 7,5 milhões de euros (aproximadamente R$ 47,4 milhões na cotação da época), rendendo R$ 13,5 milhões ao Fluminense, que possuía 10% mais 20% de taxa de vitrine da negociação total do jogador.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos