Todt fala sobre estado de saúde de Schumacher e revela que heptacampeão 'acompanha' filho Mick na Fórmula 2

Carlos Costa
·4 minuto de leitura

Atual presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt foi chefe de equipe da Ferrari na era de ouro da escuderia com o alemão Michael Schumacher e falou nesta segunda-feira sobre o estado de saúde do heptacampeão da Fórmula 1.

"Olha, você sabe que esta é uma pergunta que responderei com extrema discrição. Eu vejo Michael muito frequentemente, uma ou duas vezes por mês", disse o dirigente à estação de rádio francesa RTL.

<span class="copyright">Motorsport.com</span>
Motorsport.com

Motorsport.com

O heptacampeão sofreu um acidente enquanto esquiava em dezembro de 2013, quando bateu a cabeça em uma rocha numa estação de Méribel, na França, um ano após sua aposentadoria definitiva da F1.

O alemão saiu do coma em junho de 2014, mas, desde então, há poucas informações sobre o ídolo. A família 'blinda' Schumacher e a divulgação de notícias é rara, de modo que pairam dúvidas sobre o estado de saúde do ex-piloto.

Do ponto de vista médico, acredita-se que 'Schumi' não está em estado vegetativo, pois supostamente reage a estímulos externos. De todo modo, o advogado da família já confirmou que o heptacampeão não tem a capacidade de andar e nem de ficar em pé.

Especula-se, ainda, que Schumi não fala, já que Todt disse, em julho de 2019, que "não há mais a mesma comunicação de antes" entre ele e o piloto. Também no meio do ano passado, houve a confirmação de que Schumacher, que faz seu tratamento em casa desde setembro de 2014, passou por um hospital de Paris, supostamente para um procedimento com células-tronco. O médico responsável, porém, negou.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1, MotoGP e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1: Esnobado por Senna, Massa usou episódio para 'dar lição' em Schumacher; assista

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da F1 2021 é o mais correto? Ouça o debate

Your browser does not support the audio element.

Sebastian Vettel posa com seu herói Michael Schumacher

Sebastian Vettel posa com seu herói Michael Schumacher<span class="copyright">XPB Images</span>
Sebastian Vettel posa com seu herói Michael SchumacherXPB Images

XPB Images

Ainda durante os anos 90, Schumacher inspirou um menino que ainda iria lhe dar muito trabalho na pista no fim de sua carreira.

O primeiro pódio

O primeiro pódio<span class="copyright">Williams F1</span>
O primeiro pódioWilliams F1

Williams F1

Em 2015 a Fórmula 1 retornou ao México. A última visita ao Circuito Hermanos Rodriguez havia sido em 1992, quando Nigel Mansell ganhou e um certo Michael Schumacher abria o champanhe pela primeira vez. Ainda naquele ano ele venceria sua primeira corrida, na Bélgica.

O primeiro título

O primeiro título<span class="copyright">XPB Images</span>
O primeiro títuloXPB Images

XPB Images

Schumacher se sagrou campeão pela primeira vez na F1 em 1994 na Austrália. Ele jogou seu carro contra Damon Hill após bater e quebrar a suspensão traseira de sua Benetton. O abandono duplo dava o título a ele.

O valioso tri

O valioso tri<span class="copyright">XPB Images</span>
O valioso triXPB Images

XPB Images

Campeão com a Benetton em 1994 e 1995, Schumacher foi para Ferrari tentar trazer a histórica equipe de volta aos dias de glória. Demorou cinco anos, mas o tri chegou em 2000. O fim do jejum de 21 anos da Ferrari foi comemorado como poucas conquistas.

A sequência

A sequência<span class="copyright">Ferrari Media Center</span>
A sequênciaFerrari Media Center

Ferrari Media Center

Schumacher teve pequena oposição de David Coulthard durante o início de 2001. No entanto, com a piora da McLaren na metade do ano, o piloto teve caminho livre para se sagrar campeão em agosto, no GP da Hungria.

O fim do domínio

O fim do domínio<span class="copyright">BMW AG</span>
O fim do domínioBMW AG

BMW AG

2004 foi o ano mais dominante de Schumacher. Ele ganhou 13 corridas em 18 realizadas (recorde batido por Vettel em 2013). Na foto, a última de cinco dobradinhas dos irmãos Ralf e Michael na F1.

"Fim" por cima

"Fim" por cima<span class="copyright">XPB Images</span>
"Fim" por cimaXPB Images

XPB Images

Depois de um ano ruim em 2005, 2006 provou ser a grande despedida de Schumacher da F1. Ele lutou até a última prova pelo título com Alonso, perdendo o mundial por azares nas duas últimas provas do ano.

O último pódio

O último pódio<span class="copyright">XPB Images</span>
O último pódioXPB Images

XPB Images

Depois de uma volta à F1 mal-sucedida em 2010 pela Mercedes, em 2012 o alemão disse adeus de vez à categoria. Ele não foi bem, mas não saiu de mãos vazias. Ele foi o terceiro no GP de Valência de 2012.

A última prova

A última prova<span class="copyright">XPB Images</span>
A última provaXPB Images

XPB Images

Schumacher se despediu da F1 em uma corrida cheia de alternativas em Interlagos em 2012. A prova decidia o título da temporada, entre Fernando Alonso e Sebastian Vettel. O alemão acabou sendo tri.

Mensagens de despedida

Mensagens de despedida<span class="copyright">XPB Images</span>
Mensagens de despedidaXPB Images

XPB Images

"A vida é feita de paixões. Agradeço por compartilhar a minha", foi o que escreveu no capacete em sua última prova, além desta mensagem na lateral de seu carro.

Siga o Motorsport.com Brasil no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube